Revolta! Todo Maranhão pede a prisão imediata do irmão do prefeito de Pinheiro que espancou a ex-companheira impiedosamente pela segunda vez

Lúcio André Genésio espancou a ex-esposa impiedosamente

Causou revolta em todo o Maranhão a soltura do irmão do prefeito de Pinheiro, Lúcio André Genésio, depois de ter espancado ex-companheira, a advogada Ludmila Rosa Ribeiro da Silva.

A sessão de espancamento ocorreu na noite de sábado (11), após um jantar que seria mais uma tentativa de reconciliação. Lúcio André Genésio forçou a vítima a postar foto do casal em suas redes sociais, obrigando-a, ainda, a lhe entregar seu celular. O objetivo seria verificar a existência de conversas com algum outro homem.

A mulher chegou a postar apenas uma foto das mãos do casal, mas se recusou a entregar o aparelho. De imediato o agressor, pediu a conta e informou que a deixaria em casa.

Após pagamento de fiança, o agressor foi liberado

Na saída do restaurante, que fica na área da Lagoa da Jansen, ele tirou à força o celular da bolsa de Ludmila, passando-a a espancar até a residência dela, localizada na Cohama, onde a expulsou do carro a chutes.

Após empurrar a vítima pra fora do veículo, que estava sem forças para pedir socorro, acelerou o carro com a intenção de atropelá-la, tendo sido impedido por uma vizinha, que o agressor acreditou ser agente de Polícia.

Outros vizinhos, ao perceberem as agressões, efetuaram a prisão em flagrante de Lúcio André Genésio, que prometeu matar a vítima.

A ocorrência foi registrada às 2h34 deste domingo (12), no Plantão do Cohatrac. Ele pagou fiança de R$ 4.685,00 e foi posto em liberdade pelo delegado Valber Braga.

A vítima se encontra hospitalizada, recuperando-se lentamente de todos os traumas físicos, mas sem previsão de recuperação dos traumas psicológicos causados pela agressão covarde.

Em 2016, Lúcio André Genésio já havia espancado Ludmila que estava grávida de cinco meses do filho do casal, na cidade de Pinheiro/MA, onde seu irmão, Luciano Genésio, é prefeito.

Primeiro espancamento.

A Polícia Militar de Pinheiro foi acionada na madrugada do dia  03 de janeiro de 2016, para efetuar a prisão de Lúcio André Silva, irmão do prefeito de Pinheiro, por bater na companheira, Ludmila Rosa Ribeiro, que estava grávida de alguns meses na época. O sem prestigio e enquadrado na Lei Maria da Penha, hoje se diz pré-candidato a deputado.

De acordo com o Boletim de Ocorrência, Ludmila compareceu ao Quartel da PM afirmando ter sido agredida pelo por Lúcio André, conhecido por promover arruaças, dar tiros para o alto e dirigir alcoolizado pelas ruas de Pinheiro.

Informada da ocorrência, uma guarnição da polícia se deslocou até a residência dos Genésio e conduziu o agressor até a delegacia. Depois de algumas horas no xilindró, Lúcio pagou fiança e foi solto.

A Polícia Civil instaurou inquérito para investigar as circunstâncias das agressões. O agressor que responde ao processo em liberdade, foi enquadrado na Lei Maria da Penha.

O crime revoltou internautas de todo o estado do Maranhão que pedem a prisão imediata do irmão do prefeito de Pinheiro que espancou a ex-companheira impiedosamente.   Será que esse caso ficará na impunidade?

Comente