Logo
  • 2.020 municípios farão ligações de orelhão para telefône fixo sem cobrança


    A partir do dia 30 deste mês, as ligações locais para telefones fixos feitas em
    orelhões da operadora Oi em 2.020 municípios não poderão ser cobradas. A
    medida, determinada pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), faz
    parte do Plano de Revitalização de Telefonia de Uso Público, que começou em
    agosto de 2011.

    A Anatel exigiu de cada uma das concessionárias um plano de vistoria e reparo
    dos orelhões e melhoria nos sistemas de supervisão. Como a Oi não atingiu
    integralmente os objetivos do plano, especialmente em relação à densidade de
    orelhões por número de habitantes e aos reparos nos telefones, foi feito um
    acordo com a agência para isentar a cobrança da ligação. A gratuidade vale até
    outubro ou dezembro, de acordo com o problema apresentado pela operadora em
    cada cidade. A Oi tem atualmente 760 mil orelhões no país.

    Desde abril, a mesma proibição de cobrança foi determinada para a Embratel, nas
    chamadas nacionais de longa distância feitas por meio do código 21 nos 1,5 mil
    orelhões sob responsabilidade da concessionária. A medida, que vale até 31 de
    dezembro, foi decidida pela Anatel por causa do desempenho insatisfatório da
    concessionária na execução do plano de revitalização da telefonia de uso
    público.

    Segundo o superintendente de Universalização da Anatel, José Gonçalves Neto, a
    estimativa de investimentos de todas as operadoras para o cumprimento do plano
    de revitalização é R$ 205 milhões. A Oi deverá investir R$ 170 milhões para
    revitalizar os orelhões do país.

    Neto garante que as medidas impostas pela Anatel têm surtido efeito na melhoria
    da disponibilidade do serviço no país. No caso da Oi, o índice de planta ativa
    de orelhões era 70% em setembro do ano passado e em junho deste ano passou para
    86%. O índice da Embratel passou de 50% para 69% e da Telefônica subiu de 70%
    para 91%.

    Oi se pronuncia

    A Oi informa que assumiu, no segundo semestre do ano passado, compromisso com a
    Anatel de revitalizar sua planta de telefones públicos (orelhões) e que o
    cronograma de realização dessas melhorias foi prejudicado por questões alheias
    à vontade da companhia, como o atraso na entrega de 135 mil equipamentos por
    parte de fornecedores nacionais e intempéries climáticas. 

    Por conta desse
    atraso, a companhia cogitou junto à Anatel a homologação de fornecedores
    estrangeiros dos equipamentos. Além disso, a empresa vem realizando mensalmente
    a atualização, junto à agência reguladora, de informações sobre o cronograma.

    Em virtude de alguns atrasos, decorrentes de fatores como os expostos acima, a
    Oi optou por uma forma de compensação pública e voluntariamente ofereceu
    gratuidade no uso de orelhões (em ligações locais para telefones fixos) nos
    municípios que não puderam ser atendidos no prazo acordado, como forma de
    reparação junto aos usuários dessas localidades. A Oi acrescenta que continua
    trabalhando no plano de recuperação dos orelhões e tem intensificado os
    esforços para mitigar os problemas enfrentados ao longo de sua execução.

    0 Comentários

    Deixe o seu comentário!