Logo

Após nigeriano preso, secretário quer ‘varredura’ em médicos do interior

O
secretário de Saúde do Maranhão, Ricardo Murad, utilizou, neste sábado (23),
sua página em uma rede social para fazer um apelo aos prefeitos e secretários
municipais de Saúde, após um nigeriano ser detido no Hospital Municipal de Bacuri, na
Baixada Maranhense, suspeito de exercício ilegal da medicina. “Peço a todos os
prefeitos e secretários municipais de saúde que façam imediatamente uma
varredura em todos os médicos que atuam nos municípios para checagem do CRM ou
da inscrição válida no programa ‘Mais Médicos’ para o Maranhão.

Assim como esse, podem existir outros se fazendo passar por médico”, assinalou.
O suspeito foi detido no início da tarde deste sábado (23).
A informação foi confirmada ao G1
pelo superintendente de Polícia Civil do Interior, delegado Jair Paiva. “Nós
recebemos esta denúncia e estávamos averiguando, com nossa equipe de
inteligência. Na hora da prisão ele não apresentou documentos. Embora tenha dito
que é formado, não apresentou registro algum no Conselho [Regional] de
Medicina”, informou o delegado.
Além
do suposto exercício ilegal da profissão, a polícia também investiga
informações de que o homem tenha receitado medicamentos para uma criança, na
cidade de Mirinzal,
que teria morrido vítima de raiva humana. A partir do caso, o secretário de
Saúde alertou as autoridades municipais de Saúde. “Assim como esse, podem
existir outros se fazendo passar por médico”, chamou a atenção, Ricardo Murad.
Após
a prisão, o suspeito nigeriano foi encaminhado para a Delegacia Regional de
Pinheiro. Segundo o Código Penal, o exercício ilegal da medicina é um crime
contra a saúde pública, passível de detenção de seis meses a dois anos.
Veja a íntegra da publicação do secretário de Saúde

“ALERTA GERAL
Prefeitos e secretários
municipais de saúde

Registramos o óbito de
uma criança por raiva humana (canina) porque não recebeu o tratamento
recomendado pelo protocolo estabelecido para esses casos e com o agravante de
ter sido atendida por pessoa não habilitada.

O cidadão que atendeu a
criança no hospital municipal de Mirinzal, não tem CRM, portanto não tem
registro para atuar como médico expedido pelo conselho regional de medicina
conforme atestado do Dr. Abdon Murad, como também não faz parte do programa
“Mais Médicos” do Ministério da Saúde para o Maranhão, sendo-lhe
vedado o exercício legal da medicina em qualquer unidade de saúde.

Esse cidadão, conforme apuramos
hoje – com denúncia já formalizada diretamente ao secretário de segurança
pública – atua como médico em vários municípios colocando em risco a vida de
pessoas inocentes.

Peço a todos os prefeitos
e secretários municipais de saúde que façam imediatamente uma varredura em
todos os médicos que atuam nos municípios para checagem do CRM ou da inscrição
válida no programa “Mais Médicos” para o Maranhão.

Assim como esse, podem
existir outros fazendo-se passar por médico.

o nosso compromisso é com
a saúde da população maranhense e somente com ela.

Nome do cidadão de origem
nigeriana:
 

Kingsley Ify Umeilechukwu”

0 Comentários

Deixe o seu comentário!