Logo
  • Baixada Maranhense: Caos e estresse no ferry-boat

    Fila
    de espera de carros para entrar no Ferry Boat
    Quem já viajou, ou precisa viajar
    constantemente  para as cidades localizadas na região da Baixada
    Maranhense, sabe o que é a via-crúcis que se tornou atravessar a baía
    de São Marcos através do serviço do ferry-boat, ainda mais em período de
    feriados prolongados.
    O
    usuários-consumidores penam com o caos e consequente estresse causado pela
    falta de organização e planejamento, inclusive na venda de passagem, bagunça no
    embarque e desembarque de passageiros e automóveis, filas imensas nos dois
    sentidos (Itaqui/Cujupe/Itaqui), enfim, a mais completa balbúrdia no que
    diz respeito ao atendimento ao cliente –  e toda véspera de eleição
    aparece um deputado interessado no assunto e depois, claro, desaparece.
    Na manhã desta segunda-feira, 6, o
    vice-prefeito de Pinheiro, a maior cidade da Baixada, fez  o seguinte
    desabafo pela rede social do Facebook sobre o (des) serviço do ferry-boat:
    “Ontem [domingo, 5] testemunhei mais
    uma vez o descaso, a incompetência e a humilhação aos baixadeiros e demais
    usuários do serviço de transporte via ferry-boat. Amarguei longas oito
    horas(das 14 às 22 h) na fila de espera. Famílias com idosos, crianças,
    enfermos, todos viveram um domingo de páscoa angustiante. A solução de
    enviarem ferrys para viagens extras só começou a se efetivar após 21 h, depois
    de um protesto dos usuários fechando a pista de acesso ao porto e negociação
    até com a polícia. Entra ano e sai ano, e nada acontece. A prometida
    LICITAÇÃO para regularizar essa concessão pública se faz necessária e urgente.
    Estamos no quarto mês do novo governo, pelo menos o Edital já deveria ter
    saído!

    Chega de humilhações.
    A BAIXADA MERECE
    RESPEITO!”.

    Essa questão do serviço do ferry-boat é
    muito parecida como a crise do sistema de transporte público em São Luis, ou
    seja, precisa haver a devida coragem das autoridades públicas para
    enfrentar e superar os problemas, que passa igualmente pela licitação para
    democratizar a concessão do serviço e quebrar o monopólio em vigor.
    É
    mais uma questão para o Governo do Estado pautar o quanto antes, caso contrário
    essa situação caótica tem tudo para respingar na popularidade do governador
    Flávio Dino que, diga-se de passagem, é muito boa na região.
    O
    Fórum em Defesa da Baixada promete fazer uma ampla campanha para pressionar por
    melhorias substanciais nos serviços prestados pelo ferry-boat, hoje
    considerados pelos usuários, com o perdão da palavra: uma bosta!

    É
    aguardar e conferir.
    Do Blog do Robert Lobato

    0 Comentários

    Deixe o seu comentário!