“Cinturão de proteção” a Flávio Dino na CPMI vai chamando atenção

Como o Blog tem destacado, tem chamado a atenção, inclusive da imprensa nacional, o fato do Maranhão ser o estado, proporcionalmente, com o maior número de parlamentares na CPMI dos atos do 08 de janeiro, que será instalada no Congresso Nacional na quinta-feira (25).

A CPMI será composta por 32 parlamentares, sendo 16 deputados federais e 16 senadores. Só o Maranhão, neste momento, já teria seis nomes na comissão, sendo quatro deputados – Duarte Júnior (PSB), Aluisio Mendes (Republicanos), Rubens Júnior (PT) e Amanda Gentil (PP) – e duas senadoras – Ana Paula Lobato (PSB) e Eliziane Gama (PSD).

De acordo com o jornal O Globo, o fato do ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino (PSB), ser um dos principais alvos da Oposição na CPMI, fez com que “a base aliada escalasse cinco parlamentares do Maranhão, o estado que já foi governado pelo ministro, para integrar a comissão”.

O Maranhão tem mais representação na CPMI do que estados mais populosos, como Rio de Janeiro, Bahia, São Paulo e Minas Gerais. Veja abaixo como O Globo destacou os parlamentares maranhenses que vão integrar o “Cinturão de proteção” de Flávio Dino.

Ana Paula Lobato (PSB): Suplente de Flávio Dino, a senadora manteve a única vaga do PSB na Casa. Aliada de primeira hora do ministro, ela já disse não ter dúvidas de que ele seguirá comprometido com a “reorganização institucional” do país.

Eliziane Gama (PSB): A senadora é uma tradicional aliada de Dino. Ela foi eleita em 2018 na mesma chapa em que ele foi reeleito governador e já declarou que bolsonaristas “tentam culpar a própria vítima pelo crime ocorrido”.

Duarte Junior (PSB): No ano passado, o deputado foi líder do governo de Dino na Assembleia do Maranhão. Duarte Junior foi candidato a prefeito de São Luís em 2020 apoiado pelo ex-governador, sendo derrotado no segundo turno.

Rubens Pereira Jr. (PT): Um dos três titulares do PT, é um deputado com trajetória política ligada a Flávio Dino. O petista já foi secretário de Cidades e da Articulação Política quando o agora ministro da Justiça era governador.

Amanda Gentil (PP): Em seu primeiro mandato na Câmara, deve ser a escolhida pelo PP para a vaga, como um aceno ao governo. Apoiadora de Dino, ela participou de comício ao lado de Lula, mas não declarou voto em 2022.

Jorge Aragão

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *