Logo
  • ‘Combate à criminalidade no Maranhão é referência no país’

    

    SÃO LUÍS – A elucidação do assassinato do jornalista Décio Sá, as prisões de pessoas envolvidas no arrombamento de caixas eletrônicos e as apreensões de grandes quantidades de drogas foram ações comentadas ontem pelo secretário Aluísio Mendes, em entrevista, por telefone a O Estado, e que colocam a Secretaria de Segurança Pública do Maranhão (SSP) como uma das mais atuantes na luta contra a criminalidade no país. Segundo o secretário, o inquérito que investigou a morte do repórter da editoria de Política de O Estado, com a determinação das prisões preventivas de todos os envolvidos direta ou indiretamente no crime, está praticamente encerrado.”Faltam apenas detalhes para a conclusão final da investigação e do encaminhamento ao Poder Judiciário, assim como a formulação da denúncia pelo Ministério Público (MP).

    Com isso, podemos afirmar que esse foi um trabalho incessante da comissão de delegados, montada pela SSP especificamente para tratar do assunto. Concluo ainda dizendo que o assassinato do jornalista Décio Sá foi planejado de forma minuciosa, com poucas falhas. Graças ao trabalho de investigação, do auxílio da Polícia Federal, do Instituto de Criminalística (Icrim) e de outras instituições, a polícia realizou o seu trabalho com sucesso”, afirmou o secretário.

    Aluísio Mendes confirmou ainda que a prioridade da SSP será, a partir de agora, a investigação sobre os supostos crimes de agiotagem no Estado.
    – Nós, na SSP, montamos uma nova força-tarefa, representada por uma comissão composta por outros delegados, que já está responsável pela elucidação desse tipo de crime, infelizmente comum no estado. Antes mesmo do desfecho, é possível afirmar que as investigações dos crimes de agiotagem são muito mais complexas do que as que elucidaram o assassinato de Décio Sá. Portanto, não é possível, no momento, falar em prazos para conclusão deste inquérito sobre a agiotagem – disse o secretário.
    Sobre a transferência de Jhonatan de Sousa Silva, assassino confesso de Décio Sá, para um presídio de segurança máxima em Campo Grande, Mato Grosso do Sul, o secretário disse que, mesmo com o procedimento, ele poderá ser encaminhado de volta ao Maranhão, caso seja necessário.
    ‘Caixeiros’

    

    Quanto aos crimes de arrombamento de caixas eletrônicos do estado, o secretário Aluísio Mendes destacou o baixo número de ocorrências desse tipo de crimes neste ano. “O Maranhão é, no momento, referência na região Nordeste quando o assunto é combate às quadrilhas, cada vez mais organizadas. Este ano, tivemos apenas sete ocorrências do gênero, e no dia 9 prendemos oito pessoas envolvidas na prática de arrombamentos de caixas eletrônicos em São Luís. Hoje [ontem], foram mais seis que haviam arrombado um caixa em Cajari. Pela análise da polícia, normalmente esses grupos caracterizam-se por serem compostos por pessoas do Maranhão e de estados vizinhos, como Piauí, Pará e Tocantins. Com o trabalho incessante dos delegados e investigadores, estamos praticamente abolindo este tipo de crime em nosso estado”, disse o secretário.
    Aluísio Mendes disse ainda que o Maranhão divulgou para os gestores das Secretarias de Segurança Pública de outros estados, o trabalho de combate às quadrilhas especializadas em arrombamento a caixas eletrônicos.
    – Na última reunião nacional envolvendo os secretários de Segurança Pública do país, o Maranhão foi elogiado pelos representantes de outros estados pela forma como combate as quadrilhas especializadas neste tipo de crime. Isso mostra a eficiência do estado no planejamento da Segurança Pública – afirmou.
    Mais de 900 kg de drogas apreendidos só este ano

    

    De acordo com dados divulgados pela Secretaria de Segurança Pública do Maranhão (SSP), somente nos sete primeiros meses deste ano a quantidade em quilogramas de drogas apreendidas superou a registrada durante todo o ano passado.

    Ainda segundo a SSP, por meio de operações realizadas pelas policias Civil e Militar do estado, o volume de drogas apreendidas este ano supera os 900 kg, informação divulgada na quinta-feira (9), pelo secretário Aluísio Mendes, durante entrevista concedida à Rádio Mirante AM ao radialista Domingos Ribeiro, no programa Rádio Patrulha.

    Com base em informações da Superintendência de Polícia Civil do Interior (SPCI), a SSP concluiu que os municípios onde foram registradas as maiores apreensões foram São Luís, Balsas, Coroatá, Santa Inês, Codó, Imperatriz, Açailândia e Timon. Segundo o secretário, esses locais tiveram um monitoramento específico feito pela polícia.
    – A rota do tráfico, em nosso estado, passa por essas cidades. Normalmente, a droga chega de outros estados e até mesmo de outros países e entram no Maranhão para ser encaminhadas a outras regiões. No entanto, por meio de um trabalho de monitoramento, feito pelas forças de segurança Federal e Estadual, a SSP consegue identificar os intermediários, responsáveis pelo transporte dessa droga, e mapear os locais por onde passam – afirmou o secretário.
    Ainda de acordo com o secretário Aluísio Mendes, as apreensões foram importantes no controle da taxa de homicídios.

    

    – Cerca de 70% dos homicídios, somente na região metropolitana de São Luís, têm relação com o tráfico de drogas. Por isso, é fundamental o trabalho de combate à venda de entorpecentes. É necessário ainda destacar, nesse caso, a investigação realizada pelo Departamento de Combate a Narcóticos (Denarc), comandado pelo delegado Cláudio Mendes – disse o secretário.

    Interior
    Se antes o Denarc tinha como área de atuação apenas a capital maranhense, recentemente a SSP ampliou o foco de investigações para o interior do estado. “Isso foi necessário, pois detectamos que, na maioria das vezes em que a droga chegava a São Luís, já havia passado anteriormente pelo interior do estado. Por isso, foi necessário mudar a área de atuação para municípios como Balsas, Santa Inês e Imperatriz, por exemplo”, disse o secretário.
    Segundo o titular da SPCI, delegado Jair Lima de Paiva Júnior, o combate aos criminosos nos municípios maranhenses aumentou devido à efetividade das políticas de segurança pública do Estado.
    – Com a instalação de 18 delegacias regionais nas cidades onde há um grande foco de tráfico de drogas, houve avanços significativos no combate a esse tipo de crime. A polícia dará prosseguimento a esse trabalho, realizado no momento com sucesso – finalizou.
    Relação das últimas apreensões

    

    Balsas – No dia 27 de abril deste ano, a polícia apreendeu no município, no sul do Maranhão, 127 kg de pasta-base de cocaína. A droga estava escondida no fundo falso de uma caminhonete. Essa foi a maior apreensão de cocaína dos últimos 10 anos, no estado.
    Santa Inês – No dia 20 de junho, o Departamento de Combate a Narcóticos (Denarc) apreendeu 13 kg de crack, em Santa Inês. O produto estava armazenado em um laboratório situado no município. Segundo a polícia, o entorpecente era oriundo do estado do Mato Grosso.
    São Luís – Na capital maranhense, segundo o Comando do Policiamento Metropolitano (CPM), somente no primeiro semestre deste ano foram apreendidos 64 kg de entorpecentes, que, de acordo com a Secretaria de Segurança Pública do Maranhão (SSP), supera em 38 kg o total apreendido no ano passado.

    

    Açailândia – Em fevereiro deste ano, a Polícia Militar apreendeu 100 pedras de crack sob posse de Raimundo Costa de Oliveira, de 28 anos. O homem, conhecido como Gordo, era proprietário de um bar naquela cidade.
    Timon – No dia 29 de maio, policiais civis do 1º Distrito de Timon prenderam em flagrante delito os traficantes Daniel Batista Lima e Vanderkleison Oliveira da Silva, o Bibi. A dupla foi abordada na Rua 19, nas proximidades do Morro do Parque Aliança, e com ela foram encontradas 60 pedras de crack.
    O imirante

    0 Comentários

    Deixe o seu comentário!