Logo
  • Conferência discute “Gestão dos Resíduos Sólidos” em Pinheiro

    PINHEIRO – A Conferência Regional do
    Meio Ambiente em Pinheiro reuniu, nesta quarta-feira (3), cerca de 240 pessoas,
    na Universidade Federal do Maranhão – Campus II, na Estrada Pinheiro-Pacas, km
    10, s/nº – Bairro da Enseada. O evento, que discutiu o tema “Gestão dos
    Resíduos Sólidos”, foi encerrado após a eleição de 20 propostas elaboradas
    pelos grupos de trabalho e dos delegados da regional. A expectativa é de que em
    Pinheiro sejam eleitos 80 delegados. Eles deverão participar da IV Conferência
    Estadual do Meio Ambiente, marcada para o período de 3 a 5 de setembro de 2013,
    no Centro de Convenções Pedro Neiva de Santana, em São Luís.
    A secretária adjunta de
    Desenvolvimento Sustentável da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Recursos
    Naturais do Maranhão (Sema), Lorena Saboya, representando o secretário Victor
    Mendes, deu início aos trabalhos. Compuseram, ainda a mesa, o secretário municipal
    de Meio Ambiente de Pinheiro, Hugo Cordeiro, representando o prefeito Filuca
    Mendes; o diretor do Campus da Ufma de Pinheiro, Rickley Marques; a promotora
    de Justiça de Mirinzal, Lícia Ramos Cavalcanti; o gestor da Unidade Regional de
    Educação de Pinheiro, Antônio Fernando Jansen Pereira Mitoso; a coordenadora do
    Fórum Municipal de Meio Ambiente e Agenda 21 de Cururupu, Célia Cristina da
    Silva Pinto (representando a sociedade civil organizada); e Edson Wanderly
    Pinheiro, presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Pinheiro,
    representando o setor empresarial.
    Lorena Saboya agradeceu a resposta
    positiva dada pelos municípios mobilizados para o evento. “Ver os
    municípios presentes na Conferência discutindo este tema urgente e fundamental
    para qualquer cidade, é de suma importância para que possamos ter um
    desenvolvimento sustentável no Maranhão”, afirmou.
    O secretário Hugo Cordeiro destacou
    que a discussão do tema tem relevância para todo o Estado tendo em vista a
    problemática da geração de resíduos sólidos e a destinação desses resíduos para
    lixões que deverão ser fechados até agosto de 2014. “Espero que a
    conferência contribua para solução deste problema e que os participantes
    aproveitem os debates”, afirmou.
    A coordenadora do Fórum Municipal de Meio Ambiente e Agenda 21 de
    Cururupu, Célia Cristina da Silva Pinto, e Edson Wanderly Pinheiro, presidente
    da Câmara de Dirigentes Lojistas, ressaltaram a importância da participação
    social na Conferência e a discussão do tema.
    Para que os representantes de 36
    municípios pudessem debater com mais profundidade sobre a Gestão dos Resíduos
    Sólidos nos subeixos: Produção e Consumo Sustentáveis, Redução dos Impactos
    Ambientais, Educação Ambiental e Geração de Emprego e Renda, foram ministradas
    três palestras relacionadas ao tema.
    Na palestra sobre as ações de “Gestão
    de Resíduos Sólidos da Prefeitura Municipal de Pinheiro”, o secretário
    Hugo Cordeiro, apresentou o diagnóstico dos resíduos sólidos do município. Ele
    destacou que 55% dos resíduos dos estabelecimentos comerciais são recicláveis e
    que a prefeitura também traçou o perfil dos catadores. “Este diagnóstico é
    o primeiro passo para o futuro fechamento do lixão e construção do aterro
    sanitário, da implantação de uma coleta seletiva e da criação de um centro de
    triagem que fortalecerá os grupos de catadores”, explicou.
    A coordenadora local do Projeto da
    Sema “Agentes do Verde” , Gerlane Dias, fez uma palestra sobre a
    experiência do projeto na Área de Proteção Ambiental da Baixada Maranhense.
    A moradora do povoado Santo Antônio
    dos Carvalhos, Idalina Ribeiro, 28 anos, disse que antes do projeto tinha uma
    visão diferente do meio ambiente e desperdiçava materiais que poderiam ser
    reaproveitados. “Agora eu vejo que posso utilizá-los e até gerar renda e
    quero, também, repassar o que aprendi para minha comunidade”, comentou.
    Palestra

    O Prof. Dr. em Ciências da Engenharia
    Ambiental, Ozelito Possidônio de Amarante Júnior, ministrou a palestra
    “Gestão de Resíduos Sólidos Urbanos: redução de impactos ambientais”.
    Na ocasião informou que de acordo com as pesquisas feitas pelo Centro de
    Pesquisas Avançadas em Ciências Ambientais do Instituto Federal de Educação,
    Ciência e Tecnologia do Maranhão (Ifma), 60% dos resíduos levados para os aterros
    ainda são restos de alimentos que poderiam ser utilizados para produção de
    adubos. Além disso, todo o lixo recolhido no Maranhão não é tratado,
    contaminando o solo, a água e o ar.
    Ainda de acordo com a pesquisa, 17%
    do lixo que vai para os lixões maranhenses são compostos por materiais
    plásticos que liberam substâncias tóxicas. “Essas substâncias afetam o
    sistema endócrino desregulando as glândulas e também podem causar diversos
    tipos de câncer. Entre eles, câncer de mama, câncer de ovários, câncer de testículos,
    além da redução da produção de espermatozóides e até mesmo a diminuição do
    tamanho do órgão sexual masculino”, alertou.

    0 Comentários

    Deixe o seu comentário!