Logo
  • Eliziane Gama está sendo pressionada para deixar assembleia

    Eliziane em campanha: presaão agora é por vaga na Asembleia
    Depois de sofrer intensa pressão para não concorrer à Prefeitura de
    São Luís – inclusive do próprio partido, o PPS – a deputada Eliziane
    Gama agora é pressionada a tirar licença da Assembleia Legislativa.


    Os negócios políticos mantidos pelo grupo formado por
    PDT/PPS/PSB/PCdoB e PTC, que tem candidaturas conjuntas em vários
    municípios, inclui a oferta de um mandato ao segundo suplente de
    deputado, Luciano Genésio (PCdoB), vice na chapa do prefeito de
    Pinheiro, José Arlindo (PSB).


    A primeira parte do contrato foi cumprida com o afastamento de
    Luciano Leitoa (PSB), candidato a prefeito de Timon, que garantiria
    quatro meses de mandato ao suplente.


    Ocorre que, antes de Leitoa, outro deputado do grupo – Rubens Pereira
    Júnior (PCdoB) – já havia se licenciado dentro do mesmo esquema, para
    beneficiar o primeiro suplente, Othelino Neto (PPS).


    Genésio: vaga meteórica só serviu para a foto na tribuna
    Mas a licença de Pereira Júnior vence no dia 13 de agosto e ele já garantiu que pretende voltar imediatamente à Assembleia.


    Neste caso, quem sai é exatamente Luciano Genésio.


    Para evitar a quebra do contrato que garante mandato popular como
    moeda de troca eleitoral, emissários do PCdoB, do PPS e do PDT têm
    pressionado Eliziane a se afastar do mandato para se dedicar à campanha
    em São Luís.


    A deputada nem cogita deixar a Casa, pois sabe dos riscos que sua
    imagem de candidata sofrerá na capital com uma licença por interesses
    meramente políticos.
    Mas eles vão fazer de tudo para arranjar vaga para o suplente na Assembleia…

    0 Comentários

    Deixe o seu comentário!