Logo
  • Geólogo fala do perigo das fortes chuvas nas cidades de Santa Helena e Turilândia

    A Bacia Hidrografica do Rio Turiaçu, tendo como principais estuários o próprio Rio Turiaçu, Paruá, Urubucu, Caxias , e uma série de afluentes de menor porte, com auxílio de uma Cadeia de Lagos que formam um ambiente lacustre de transição, entre estes, e o mar. Nas proximidades destas duas importantes cidades que estes rios citados drenam para ambas. Apresentando um grande volume de águas pluviais, que aliado a obras sem planejamentos avaliados para situações como a que ocorre no momento.

    Em Santa Helena, o bairro populoso como é o caso da Baixinha , Ponta da Areia, Vila 41 e 45 são os que receberam alagamentos mais consistentes. Além de terem uma planialtimetria de cotas baixas é uma espécie de porta de entrada das águas advindas do Rio Turiaçu , Lago do Quebra Pote e outros vizinhos, passando situações de desconforto para os habitantes. Desconforto que chega ate mesmo em cotas mais altas da Cidade prejudicados por um ruim sistema de drenagem.

    Em Turilândia por ser uma cidade de cotas topográficas mais baixas sofrem por essa influência, embora a Bacia Hidrográfica do Rio Turiaçu tenha menor influências de impactos por volumes de águas do que em Santa Helena.

    Ambas as cidades já deveriam ter sido contempladas com uma Comporta/Barragem no Rio Turiaçu para que uma de suas atribuições fosse o controle dessas águas.

    Assim estas progressistas cidades que são banhadas por esta importante Bacia Hidrográfica do Rio Turiaçu, já sofrem com a resposta do Rio e seus afluentes há décadas, vomitando águas com brava intensidade para dentro destas cidades alagando as ruas e residências, causando prejuízos incalculáveis para sua população sem o mínimo de indenizações por parte do poder público.

    EDILSON JOSÉ DE ARAÚJO GEÓLOGO

    0 Comentários

    Deixe o seu comentário!