Logo
  • Governo enviará carro fumacê para combate a o mosquito Aedes aegypti em Pinheiro

    O Maranhão é um dos estados brasileiros que não possui registros de casos de febre amarela recente, apesar de estar localizado em uma área endêmica da doença. Para manter a ausência dos casos, o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), intensificou as ações preventivas de combate a doença com a participação de diversos setores, como a Vigilância Epidemiológica, Sanitária e Ambiental e o Departamento de Imunização.

    A principal estratégia é garantir a imunização de pessoas não vacinadas em áreas silvestre, rurais ou de mata, onde o vírus se prolifera mais rapidamente. Inicialmente, a SES enviará equipes para as Regionais de Saúde de Balsas, Imperatriz, Barra do Corda, Rosário e São João dos Patos.

    “A situação do Maranhão é muito positiva em relação ao cenário nacional. Há 23 anos não temos nenhum caso de febre amarela no estado, mas precisamos continuar com nossas ações de prevenção. Vamos fortalecer as estratégias, sobretudo, nas áreas de fronteiras e na população que ainda não está imunizada”, explicou o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula.

    A superintendente de Epidemiologia e Controle de Doenças da SES, Maria da Graça Lírio, explica que uma única dose protege contra a doença por toda vida, sem necessidade de reforço posterior. Por isso, o objetivo é imunizar quem nunca se vacinou, como é o caso das crianças.

    “Quem já vacinou alguma vez na vida não precisa procurar um posto, já está protegido. Nossa principal preocupação agora é vacinar aquelas crianças que não foram vacinadas. É um público que temos uma cobertura baixa”, destacou.

    Combate a arboviroses

    Como parte das ações de controle das arboviroses, a SES disponibilizará oito carros fumacê para combater o mosquito Aedes aegypti nas cidades de Barra do Corda, Pinheiro e Cururupu. O mosquito Aedes é o transmissor da dengue, zika, chikungunya e febre amarela.

    “Não podemos nos descuidar. Não é porque tivemos uma diminuição do número de casos das doenças provocadas pelo Aedes em 2017 que vamos descansar. Precisamos continuar realizando as ações e pedindo a colaboração da população com o combate ao mosquito disponibilizando dez minutos para limpar suas casas”, alertou o secretário Carlos Lula.

    Transmissão da febre amarela 

    A febre amarela é uma doença infecciosa aguda, transmitida por mosquitos pertencentes às espécies Aedes aegypti e Haemagogus infectados por um arbovírus do gênero flavivírus. A doença é de curta duração, no máximo dez dias, e tem gravidade variável.

    Os sintomas da doença são febre, dor de cabeça, calafrios, vômito, dores no corpo e náuseas. Nos casos mais graves há hemorragias, além de olhos e pele ficarem amarelados.

    A forma mais eficaz de prevenção é a vacina, administrada em dose única a partir dos 9 meses de idade. A imunização oferece total proteção contra a doença, que pode ter curta duração ou evoluir para formas graves e levar até mesmo à morte. A vacina é gratuita e está disponível nas salas de vacinação dos postos de saúde do Maranhão.

    O incentivo à imunização contra a febre amarela está sendo reforçado pelo Ministério da Saúde, em virtude das notificações e confirmações de casos em Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo e Bahia.

    0 Comentários

    Deixe o seu comentário!