Logo
  • Governo Federal vai reavaliar projeto em Alcântara

    O Governo Federal confirmou, através do Ministério de Ciência,
    Tecnologia e Informação, que encontra dificuldades para continuar trabalhos na
    base espacial da empresa Alcântara Cyclone Space, no município maranhense. De
    acordo com nota divulgada pelo órgão, o Governo enfrentou problemas para sua
    viabilidade comercial e, diante disto, reexaminará a continuidade do projeto.
    A Alcântara Cyclone Space (ACS) é uma
    empresa binacional (Brasil-Ucrânia) criada para o desenvolvimento e operação do
    Sítio de Lançamento do foguete Cyclone-4, a partir do Centro de Lançamento de
    Alcântara (CLA) no Brasil, e para a prestação de serviços de lançamento
    espacial para os governos do dois países, assim como para clientes comerciais.

    Entretanto, na última quinta-feira (9), a imprensa nacional divulgou que o
    Brasil havia decidido cancelar o acordo com a Ucrânia, que visava o lançamento
    de foguetes ucranianos com satélites comerciais, a partir da base de Alcântara.
    Ao todo, os países já desembolsaram R$ 1 bilhão.

    O Governo Federal desmentiu o cancelamento, porém admitiu que irá reavaliar o
    projeto, alegando que o custo do lançador de satélites Cyclone-4 é muito alto
    no momento em que o país passa por um ajuste fiscal. Com a pausa, uma possível
    negociação com o governo norte-americano para o uso da base, poderá voltar à
    agenda da presidente Dilma Rousseff.

    Cyclone-4


    O lançador de satélites Cyclone-4 foi oferecido ao Brasil em 2003, para
    lançamento em 2007, o que não ocorreu. Em 2006 foi constituída uma empresa
    binacional – a Alcântara Cyclone Space (ACS) – para realizar o projeto, e o
    lançamento estava previsto para 2010. Por falta de verbas, o negócio se
    arrastou, e a previsão era de que o foguete fosse lançado em 2015.
    O Imparcial.

    0 Comentários

    Deixe o seu comentário!