Logo
  • Justiça concede habeas corpus a médico preso por omitir socorro a recém-nascido em Pinheiro

    A Justiça do Maranhão concedeu habeas corpus ao médico Paulo Roberto Penha Costa, de 44 anos, que foi preso no último dia 1º de fevereiro, acusado de omitir socorro a um recém-nascido no hospital de Pinheiro.

    Saiba mais sobre o caso:

    Médico é preso por omissão de socorro em Pinheiro

    Justiça decreta prisão preventiva de médico

    CRM-MA vai abrir sindicância para apurar morte de recém-nascido

    Negligência na morte de recém-nascido em Pinheiro é denunciada ao Ministério Público do Maranhão

    Segundo informações do advogado do médico, Hilton Oliveira, o habeas corpusfoi concedido na noite desse domingo (4), e na manhã desta segunda (5) Paulo Roberto foi posto em liberdade.

    A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) informou, por meio de nota, que cumpriu o alvará de soltura, expedido pelo Poder Judiciário, mediante monitoração por tornozeleira eletrônica.

    Entenda o caso:

    Segundo informações policiais, Paulo Roberto se negou a atender um recém-nascido da cidade de São Bento, que chegou em estado grave ao Hospital Materno Infantil na cidade de Pinheiro. Sem atendimento, a criança acabou morrendo dentro da ambulância que estava estacionada em frente ao frente do hospital.

    De acordo com o delegado Carlos Renato, da regional de Pinheiro, o médico relatou em seu depoimento que não prestou socorro à criança por que havia uma determinação da direção do hospital dizendo que pacientes devem ser atendidos na cidade de Viana.

    Diante dos fatos, o médico foi preso e autuado em flagrante por homicídio culposo.

    Imirante

    0 Comentários

    Deixe o seu comentário!