Logo
  • Operações da PF resultaram em prisões de prefeitos

    A Justiça
    Federal no Maranhão chegará ao final do ano de 2012 com mais de 600 processos
    por improbidade administrativa contra gestores públicos em fase de análise.

    Os juízes das varas ainda estão debruçados em ao menos 400 pedidos iniciais
    feitos pelo Ministério Público Federal do Maranhão, em fase de julgamento. Em
    alguns casos, gestores já foram condenados ao pagamento de multas, perderam os
    direitos políticos ou poderão ser presos, a exemplo do ex-prefeito de Bom
    Jardim, Antônio Soares Pedrosa, na última segunda-feira, dia 12.

    Em boa parte por desvio de recursos da Educação, Saúde e até os das verbas liberadas
    pela Funasa. O número dos que escaparam é mínimo. Na relação dos prefeitos os
    nomes são das mais diversas regiões, incluindo alguns no mandato e outros
    ex-gestores. Na lista consta ainda nomes de ex-deputados e um no exercício do
    mandato.

    Ainda assim, gestores atuais insistem nos atos ilícitos, deixando de usar os
    60% estabelecidos por lei para pagamento do magistério e outros simplesmente
    deixaram de pagar seus funcionários, inclusive os da Saúde.

    Municípios
    como Jenipapo dos Vieiras, Estreito, Tuntum, Vitorino Freire, Timon, Balsas, Viana,
    Apicum-Açu, Fortaleza dos Nogueiras, Coroatá, Pinheiro, Rosário, São Francisco do
    Brejão, Mirador, Godofredo Viana, Cajapió, Alto Alegre do Pindaré e Santa Luzia
    do Tide estão tendo seus repasses bloqueados pela Justiça para pagar a folha.

    O blog divulgará nas próximas horas a relação dos prefeitos condenados.
    Aguardem.

    0 Comentários

    Deixe o seu comentário!