Logo
  • Othelino rebate Marcos Caldas e diz que prefere defender o consumidor na CPI dos Combustíveis

    O deputado do PCdoB
    rebateu Marcos Caldas que usou a tribuna para defender os donos de postos de combustíveis

    O deputado estadual Othelino Neto (PCdoB)
    criticou, na sessão desta quinta-feira (27), a postura do colega de Parlamento,
    Marcos Caldas (PRP), que vem se manifestando contra a CPI (Comissão Parlamentar
    de Inquérito) dos Combustíveis, preferindo defender os empresários do setor aos
    interesses dos consumidores maranhenses. Ele disse que, ao contrário de Caldas,
    preocupa-se é com o lado da sociedade que está sendo lesada, todos os dias, com
    os preços abusivos praticados nos postos da capital maranhense.
    “Marcos Caldas está defendendo os
    interesses dos empresários, dos donos de postos de combustíveis. Eu prefiro os
    interesses dos consumidores que reclamam todos os dias contra esse aumento
    abusivo, principalmente, da gasolina na cidade de São Luís”, rebateu Othelino
    Neto que voltou a defender a instalação de uma CPI, na Assembleia Legislativa,
    para investigar uma possível prática de cartelização na capital maranhense.
    Othelino disse, na tribuna, que não dá
    mais para reverter ou desistir da CPI até porque ela já foi assinada por
    diversos parlamentares. Segundo o deputado, a instalação da Comissão não tem
    coloração partidária e o requerimento já está publicado, dependendo agora
    somente dos líderes indicarem os representantes.
    O deputado do PCdoB também voltou a
    criticar a postura dos representantes do Sindicato dos Revendedores de
    Combustíveis que, segundo ele, de forma deselegante, desrespeitosa e mal
    educada se recusaram a vir à Assembleia Legislativa explicar para a sociedade o
    que tá acontecendo. 
    “Por que em São Luís do Maranhão o preço
    do combustível é, em média, 30 centavos mais caro do que em Teresina? Marcos
    Caldas acertou em um ponto. Já tem muito posto de combustível na capital
    maranhense, não se respeita a distância que deveria haver, mas se é um negócio
    tão ruim ser empresário do setor, por que é que todo dia abre um ponto de venda
    aqui? Alguma coisa está errada”, indagou e afirmou Othelino em resposta ao
    pronunciamento de Marcos Caldas que defendeu os revendedores na tribuna.
    CPI será instalada 
    Othelino reiterou que a Comissão
    Parlamentar de Inquérito será composta de sete membros, titulares e suplentes,
    para, no prazo de até 120 dias, apurar o abusivo aumento do preço do
    combustível cobrado nos postos de abastecimentos do Maranhão, além de apurar indícios
    de formação de cartel entre os empresários do setor, o que configura crime
    previsto em lei.
    “Quando se fala em investigar aumento
    abusivo de preço, óbvio que temos que conversar e convocar os representantes
    das distribuidoras para se explicarem. Não se trata de querer condenar ninguém.
    Quem é que não sabe que as distribuidoras são parte nesse problema do aumento
    abusivo de preço?”, questionou Othelino para, posteriormente, estranhar vícios
    na comercialização do combustível que induzem preços em diversos bairros da
    capital.
    O deputado disse que a Assembleia
    Legislativa precisa ser respeitada e os parlamentares têm que cumprir com suas
    obrigações e defender os interesses da sociedade. Segundo ele, o único objetivo
    da CPI é apurar essas graves suspeitas de aumentos abusivos, porque o
    consumidor clama por isso. “Então esta Casa não pode e não deve andar na
    contramão dos interesses da sociedade”, finalizou.

    0 Comentários

    Deixe o seu comentário!