Logo
  • Penitenciária de Pedrinhas faz 47 anos e reforma prevê melhorias aos detentos

    Antes de localizar-se na área de Pedrinhas, a primeira Penitenciária do
    estado foi construída no bairro dos Remédios, no Centro da capital, e
    foi criada com a intenção de separar os presos pela ordem ou grau das
    penas, fazendo o papel apenas de casa de correção. Em seguida, começou a
    apresentar características de Penitenciária Estadual, já se utilizando
    de recursos do governo para obtenção de agentes de segurança,
    alimentação, vestuário e demais serviços. 

    Na época, projetos de
    ressocialização aos detentos, como oficinas de alfaiate e de sapateiro,
    já faziam parte das atividades da penitenciária. Em 1948, dois anos após
    a abertura da unidade no centro, foi feita a transferência para o
    município de Alcântara, onde também se enfrentou os mesmos problemas da
    localidade anterior já que a estrutura não compunha a segurança
    necessária e ainda prejudicou a questão turística da cidade. 

    A
    mudança para a mais nova Penitenciária do estado, intitulada
    Penitenciária de Pedrinhas, ocorreu em 12 de dezembro de 1965, quando
    esta foi inaugurada durante a gestão do governador Newton de Barros
    Belo, e permitia um total de 120 presos em suas instalações. 

    Situada
    a 15 km da Cidade de São Luís, à margem da BR-135, com uma área de 122
    hectares, a Penitenciária de Pedrinhas passou por várias adaptações e
    desencadeou a criação de um Complexo para atender às necessidades quanto
    à quantidade de detentos. O Complexo Penitenciário de Pedrinhas é
    integrado pelo Presídio Feminino, Centro de Custódia de Presos de
    Justiça (CCPJ), Casa de Detenção (Cadet), Presídio São Luís I e II,
    Triagem, o Centro de Detenção Provisória (CDP).

    A unidade passou por
    uma reforma geral na área da entrada, na sala de revista e em outras
    áreas do complexo. Cabe destacar a dificuldade que se tem em
    reestruturar uma instituição tão antiga quanto a Penitenciária de
    Pedrinhas.

    O núcleo de saúde já foi finalizado e dispõe de
    atendimento odontológico, psiquiátrico e de assistente social todos os
    dias, enfermeiros e técnicos de enfermagem 24 horas, bioquímicos, exames
    de raios-X, testes de HIV, hepatite e vacinação. Os internos também já
    têm disponível a biblioteca que foi totalmente reformada e entregue
    juntamente com o departamento de saúde. 

    Das obras em andamento,
    resta finalizar o pavilhão dos presos da capital e a construção da
    quadra que dividirá os detentos do interior dos de São Luís.
    Inicialmente, a proposta é que a unidade seja dividida em três
    pavilhões, sendo que dois destes, o A e o 7, como são denominados, já
    estão em funcionamento. Estão sendo executados, no momento, o acabamento
    do último pavilhão, a quadra e, posteriormente, serão finalizados os
    locais onde irão funcionar as oficinas. 

    Toda obra deverá estar
    finalizada até o final do mês de agosto e trará para a comunidade
    carcerária uma melhor qualidade de vida dentro da instituição.

    fonte: o Imparcial

    0 Comentários

    Deixe o seu comentário!