Logo
  • Pinheiro: Oposição volta a usar a velha tática de divulgar pesquisas falsas

    Pesquisa falsa divulgada em 2012.

    Pesquisa falsa divulgada em 2012.

    Um eleitor identificado como Fhayne Costa foi acionado judicialmente por divulgar em redes sociais pesquisas consideradas fraudulentas pela Justiça Eleitoral. As pesquisas, divulgadas nos municípios de Sambaíba e Loreto, apontavam como vencedores nas eleições deste ano a candidata Neidinha e o candidato Dr. Santana, respectivamente.

    Os responsáveis deverão ser punidos com base no artigo 33, § 4º, da Lei nº 9.504/1997 [Lei Eleitoral], que trata como crime eleitoral a divulgação de pesquisas e testes pré-eleitorais sem o prévio registro na Justiça Eleitoral, infração punida com multa que pode variar de R$ 53 mil a R$ 106 mil. O autor da infração também pode ser punido com detenção que pode ser de 6 meses a 1 ano.

    Sobre a divulgação de pesquisas eleitorais sem registro, o Ministério Público alerta que desde o dia 1º de janeiro de 2016, as entidades e as empresas que realizarem pesquisas de opinião pública relativas às eleições ou aos candidatos, para conhecimento público, são obrigadas, para cada pesquisa, a registrar no Juízo Eleitoral ao qual compete fazer o registro dos candidatos, com no mínimo cinco dias de antecedência da divulgação.
    Em Pinheiro, essa velha e surrada tática começa a ser usada. Com a disputa eleitoral ganhando corpo, os grupos que fazem oposição ao prefeito e candidato à reeleição, Filuca Mendes (PMDB), se valem desse artifício para espalhar boatos e mentiras, numa estratégia que já é conhecida por todos.

    Pesquisa de resultado encomendado que já tem os números propagados nas redes.

    Pesquisa de resultado encomendado que já tem os números propagados nas redes.

    Depois da série de notícias de que César Soares (PT) não poderia ser o candidato a vice-prefeito da coligação “Pelo Bem Pinheiro”, agora são as notícias sobre pesquisas que já circulam em grupos de WhatsApp e redes socais, apontando derrota de Filuca Mendes nestas eleições.

    É bom relembrar que o instituto responsável pela “pesquisa” que está circulando é o mesmo pago em 2012 para montar uma que dava como certa a reeleição de Zé Arlindo com 45% das intenções de voto. Na zona rural, o “equívoco” do Instituto Exata em 2012 foi ainda pior: “Arlindo tinha 48% contra 39% de Filuca”. A Exata garantia também que o “quadro era irreversível, pois 79% dos entrevistados afirmavam que suas escolhas eram definitivas, e, portanto, Zé Arlindo estava eleito”.

    Você lembra o resultado de 2012? Filuca Mendes foi eleito prefeito de Pinheiro com quase 1.300 votos de vantagem.

    Agora, de novo, a “história” se repete. Mais uma vez os opositores de Filuca apelam para uma enxurrada de mentiras e de dados manipuladas cujo objetivo é enganar e manipular o eleitor, gerar factoides e criar em Pinheiro um clima de vitória da oposição. Não mudaram nem mesmo os ‘divulgadores oficiais’ – os mesmos de sempre, que Pinheiro já conhece de outros carnavais.

    E nem precisa pensar muito para saber qual a verdadeira origem dos boatos: é que a onda azul da esperança, do trabalho, já ganhou as ruas de Pinheiro e coração e as mentes de Pinheiro. Simples assim.

    0 Comentários

    Deixe o seu comentário!