Logo
  • Prefeito Edison Chagas fala sobre o caso Banco Gerador

    Nos
    últimos dias a Prefeitura e Câmara Municipal de Presidente Sarney foram vitimas
    de denuncias nas redes sociais, sob acusações de  possíveis crimes de apropriação indébita de
    valores e de improbidade administrativa. E também de está sob investigação por
    ter dado calote e gerar prejuízo ao servidor do município.
    As
    acusações afirmam que o Banco Gerador firmou um convênio com a prefeitura e câmara
    onde concedeu 90 empréstimos consignados aos servidores, que tiveram as
    parcelas de pagamento descontadas na folha de pagamento. 
    Segundo
    o que circulam nas mídias os valores que totalizam R$ 1.048.009,40, não foram
    repassados ao banco pelos gestores mesmo depois de descontados na folha, e
    muitos servidores ficaram com risco de serem negativados juntos ao Serviço de
    Proteção ao Crédito (SPC) e Serasa. Veja Aqui!
    Na
    manhã de ontem o Prefeito Edison Bispo Chagas resolveu se pronunciar sobre as acusações
    afirmadas, explicando a maldade e leviandade com o nome do Município e do Gestor.
       
    O
    Prefeito Edison afirma que o Município de Presidente Sarney sempre teve como
    missão o respeito pelos princípios constitucionais que regem a administração
    pública. 
    Ademais,
    no caso em comento, este Município cumpre corretamente o acordo firmado com o
    Banco Gerador. 
    Destaca
    o prefeito que além do Município, o Banco Gerador possui um contrato com o
    servidor (mutuário) que é o exclusivo beneficiário do crédito
    fornecido pela instituição e responsável pelo pagamento das
    parcelas descontadas em folha de pagamento. 
    Ocorre
    que muitos servidores solicitam licença sem vencimento, pedem exoneração ou
    são demitidos após procedimento administrativo disciplinar
    , ou seja, nessas
    situações, realmente não tem como o Município efetuar o desconto de servidor que
    não
    esta mais recebendo sua remuneração, ocorrendo, portanto, o dever
    do Banco Gerador em cobrar o servidor (ou ex – servidor) as parcelas do
    empréstimo liberado diretamente ao servidor beneficiado com o crédito, conforme
    se depreende do item 1.1 do termo de adesão ao contrato de empréstimo pessoal
    mediante consignação em folha de pagamento.
    Portanto,
    não houve nenhuma apropriação indébita, improbidade ou peculato, haja vista os
    comprovantes mensais de repasses deste município ao Banco Gerador.
    O
    prefeito Edson afirmou que desde quando assumiu o município de Pres. Sarney,
    vem  cumprindo com as suas obrigações de
    gestor. Edson afirma que as acusações partem da política suja e já vencida no município.
      E
    que ira honrar até os últimos dias de seu manda com os compromissos firmados em
    sua gestão.

    0 Comentários

    Deixe o seu comentário!