Logo
  • “Procurei duas coisas na vida: ajudar os outros e o MA”, diz Sarney.

    Em discurso emocionado, José Sarney bate
    forte na oposição: “Essa gente que fala, quando falarem, eu peço a vocês,
    perguntem: ‘onde você colocou um prego numa barra de sabão em favor do
    Maranhão?. Perguntem o que fizeram pelo Maranhão. E eu posso dizer: nada!”

    O senador José Sarney (PMDB-AP) fez hoje (30) uma
    espécie de desabafo e mandou alguns recados para a oposição durante a
    inauguração das novas instalações da Secretaria de Estado da Saúde (SES). Na
    ocasião, ele foi homenageado com um quadro e uma citação sua na sala de
    controle da unidade.
    Em um longo discurso, o
    senador relembrou seus feitos pelo estado, a importância da Constituição
    Federal para a instituição do Sistema Único de Saúde (SUS) e disparou pesado
    contra os adversários políticos que ainda criticam o “Programa Saúde é
    Vida”.
    “Essa gente que fala, quando
    falarem, eu peço a vocês, perguntem: ‘onde você colocou um prego numa barra de
    sabão em favor do Maranhão?. Perguntem o que fizeram pelo Maranhão. E eu
    posso dizer: nada!”, disse.
    O peemedebista reclamou, também,
    do que considera “falta de respeito”.  “Se na minha terra muitas vezes
    alguns me faltam com o devido respeito que eu mereço, eu posso dizer que
    nacionalmente, internacionalmente, e mesmo aqui, nunca ninguém teve motivos
    senão de me tratar com o devido respeito, porque eu sempre procurei duas coisas
    na minha vida: ajudar os outros e ajudar o meu estado”, completou.
    Sarney voltou a defender, ainda,
    a tese de que os IDH não deve ser usado como ferramenta para medir riqueza e
    pobreza, mas sim o PIB. Segundo ele, a oposição utiliza o Índice de
    Desenvolvimento Humano como estratégia política.
    “O Maranhão, dizem, é um estado
    pobre, é último do Brasil. Todo mundo diz isso aqui, divulgaram isso. Gente, o
    Maranhão é o 16º estado do Brasil, nós estamos na frente de Mato Grosso do Sul.
    Mas eles [a oposição] não dizem isso. Por quê? Porque o Maranhão cresceu”,
    afirmou o senador, lembrando que a repetição desse discurso funciona como uma
    “campanha” contra o estado.
    “Eles dizem agora: ‘temos que derrubar o Maranhão’.
    Então começaram essa campanha. E o pior, é que os nossos inimigos aqui
    usam isso para me atingir, porque eu sou um político que tenho 50 anos de
    vida política e nunca meu nome esteve envolvido em qualquer coisa”, ressaltou.
    Ele lembrou, ainda, o episódio em
    que, no governo Jackson Lago (PDT), o deputado federal Chiquinho Escórcio
    (PMDB) foi espancado e preso nas dependência do Rio Poty Hotel depois de
    haver-se negado a conversar com um aliado do pedetista.

    “Nunca fiz mal para ninguém,
    nunca persegui ninguém. Meu período aqui foi sempre um período de paz. Teve um
    governo aqui que foi, há pouco tempo, nosso adversário. O que ele fez? Pegou o
    deputado Francisco Escórcio, deu-lhe uma surra e prendeu no Hotel Poty [Rio
    Poty Hotel]“, relatou.

    0 Comentários

    Deixe o seu comentário!