Logo
  • UFMA: Graduação em Engenharia de Pesca chega no Campus de Pinheiro

    Curso, que tem sede em Cururupu, inicia suas atividades no Campus de Pinheiro com 39 alunos

    O prefeito Filuca Mendes afirmou que não há nada melhor que ver o crescimento de uma cidade através do desenvolvimento da educação.

    O prefeito Filuca Mendes afirmou que não há nada melhor que ver o crescimento de uma cidade através do desenvolvimento da educação.

    Segundo maior litoral do país – com 640 km de costa – o Maranhão possui grande diversidade de pescados em seus rios, igarapés, lagos e mangues. Esta característica, aliada a necessidade da qualificação de potencial humano em pesquisas sobre seus recursos naturais com responsabilidade social, moveu a Universidade Federal do Maranhão a criar o curso de Engenharia de Pesca. Os alunos da primeira turma foram recebidos hoje, no Campus de Pinheiro, pela reitora Nair Portela, durante a aula inaugural que marcou a abertura do semestre letivo.

    Na solenidade, também presentes o prefeito de Cururupu, José de Almeida Júnior, o prefeito de Pinheiro, Filadelfo “Filuca” Mendes, o pró-reitor de Assistência Estudantil, João de Deus Mendes da Silva, a diretora do Departamento de Desenvolvimento do Ensino da Graduação, Conceição de Maria Moura Nascimento Ramos, o diretor do Campus de Pinheiro, Ricley Marques e o coordenador do curso de Engenharia de Pesca, Alexandre Vitor de Lima Fonseca.

    Inicialmente, a graduação terá suas primeiras disciplinas na cidade de Pinheiro, mas o curso deve ser transferido para Cururupu, onde funcionará um campus avançado. Por meio de concurso público, quatro professores já integram o quadro de Engenharia de Pesca e estarão em ação com a primeira turma, composta por 39 alunos.

    Para o prefeito de Cururupu, Almeida Junior Franco, a implantação do curso é fundamental para o desenvolvimento local. “É com muita felicidade que recebemos este curso e vemos a UFMA oferecer sua estrutura em prol do município e do Maranhão. Somos responsáveis por setenta por cento de todo o pescado do estado e agora contaremos com conhecimento acadêmico, prático e técnico”, expôs.

    Filadelfo “Filuca” Mendes afirmou que não há nada melhor que ver o crescimento de uma cidade através do desenvolvimento da educação. “A universidade está aqui para isso e nós temos orgulho de termos investido nessa parceria. Agora, cabe a vocês serem desbravadores da realidade de nossa sociedade. Vamos dar as mãos e nos unir em prol do desenvolvimento de nossa região”.

    A reitora da UFMA, Nair Portela, mostrou otimismo ao falar para os estudantes e professores. “O curso vai permitir estudar e pesquisar sobre a nossa natureza. Irá contribuir com a formação profissional, com a geração de renda, com a proteção da natureza e extração de nossos recursos com responsabilidade. Esperamos que vocês possam colaborar com a sociedade por meio do conhecimento que obterão desta graduação”, enfatizou.

    “O curso vai permitir estudar e pesquisar sobre a nossa natureza” garantiu Nair.

    “O curso vai permitir estudar e pesquisar sobre a nossa natureza” garantiu Nair.

    A aula inaugural foi ministrada pela professora adjunta do Departamento de Oceanografia e Limnologia da UFMA, Talita da Silva Espósito, que expôs o tema Estudos biológicos para subsidiar o cultivo de um peixe marinho no Maranhão. “Do ponto de vista econômico e social, o desenvolvimento das atividades de pesca e aquicultura trará à região a geração de novos empreendimentos e o aumento de ofertas de empregos diretos e indiretos, resultando em uma perspectiva de melhoria da qualidade de vida de seus habitantes”, destaca.

    Perfil do alunoal

    Virgílio de Paula, 23 anos, teve ciência do curso por meio de pesquisas prévias realizadas na internet. Ele, que é paraense da cidade de Vigia de Nazaré, escolheu o curso por conta de seu município ter na pesca a principal fonte de renda. Sonha poder voltar para a terra de origem e poder estimular a atividade local quando concluir a graduação.

    Edno Nascimento Guterres, 19 anos, natural de Pinheiro era tomógrafo em São Luís. Porém, com a aprovação em Engenharia de Pesca, voltou à cidade e virou motivo de orgulho da família. “Sou de uma família com avôs e tios pescadores, então, agora é felicidade total. É muito bom estar nesse curso, na minha cidade, que é banhada pelo Rio Pericumã. É uma atividade que eu conheço bem”, afirma.

    0 Comentários

    Deixe o seu comentário!