Logo
  • Audiência Pública proposta pelo deputado Cabo Campos comemora os 13 anos da Lei de Libras.

    Atendendo ao requerimento do deputado Cabo Campos
    (PP), foi realizado na última quarta-feira
    (22), no auditório Fernando Falcão, da Assembleia
    Legislativa, uma audiência pública  onde se discutiu e
    se comemorou os 13 anos da Lei de Libras.  
    O evento
    contou com a participação de diversos representantes das entidades de
    pessoas com deficiência , representantes da comunidade dos surdos de
    São Luís e setor privado . Entre eles Luziane de Jesus, presidente do Instituto Sociocultural e
    Educacional Profissionalizante dos surdos do norte do Maranhão, Maik Waldemar, presidente da Associação dos surdos do
    Maranhão (ASMA), Irene Santos, diretora do Centro de ensino de apoio
    de a Pessoa com
    Surdez  (CAS).  
    Na
    ocasião, Campos, autor da propositura e forte defensor das
    reivindicações da comunidade surda,  defendeu a criação de um fórum
    de discussão . O fórum de debates servirá como um instrumento
    de  fortalecimento para a  construção de uma
    maior inclusão da comunidade surda na sociedade. “Esse é um meio de
    discussões, onde escutaremos nossos queridos, a partir desses
    debates estamos instrumentalizados para o direcionamento de medidas
    concretas para a comunidade surda  do nosso
    estado”, defendeu.  
    A professora
    Irene  Cabral, diretora do Centro de Apoio a pessoas deficientes com
    surdez (CAES), ressaltou a importância do evento onde parabenizou a
    iniciativa do parlamentar na realização do evento. ” Gostaria de
    parabenizar ao deputado Cabo Campos pela iniciativa de convidar todas as
    instituições aqui representadas, para um momento tão importante. Momento esse
    festivo, mas também de reflexões e análise. Tivemos avanços na realidade da
    inclusão social dos surdos, porém a muita coisa a ser feita. Atitudes como a do
    deputado, fortalece a nossa luta, onde trazemos para a casa legislativa
    discussões direcionadas a uma comunidade que precisa muito se
    atendida”, disse.  
    O presidente da
    Associação dos Surdos  e Mudos do Maranhão (ASMAE), Maik Araújo, ressaltou a necessidade de haver intérpretes de Libras em
    todos os locais públicos, não apenas em algumas repartições específicas. “E se
    o surdo tiver que ir ao médico, como ele vai contar suas necessidade? Às vezes
    o surdo tem que escrever, mas e se ele não for alfabetizado?”, sinalizou. 
    Ao final da sessão, foram
    expostas os encaminhamentos construídos ao longo do evento. Entres eles
    destacam-se, a implementação da disciplina de libras no currículo das escolas estaduais, concurso especifico para professor
    de libras, formação de interpretes, capacitação de guia interpretes, e um plano
    estadual de expansão dos Centro de Apoio a pessoas deficientes com surdez
    (CAES).  
    Cabo Campos informou
    seu apoio a totalidade dos  encaminhamentos
    proposto e que vai cobrar celeridade na criação do currículo com a
    inclusão da disciplina de Libras e no encaminhamento do projeto de
    Lei. “Vamos em busca da realização de todas essas proposta que aqui
    foram construídas, não posso afirmar que conseguiremos todas, porém junto com a
    comunidade teremos êxito nesse trabalho. Reafirmo aqui, meu compromisso com
    essas pessoas, que muito podem contribuir com nossa sociedade”,
    afirmou.  

    0 Comentários

    Deixe o seu comentário!