Logo
  • Bacuri: “Estou sofrendo uma perseguição sistemática”, afirma Dr. Washington ao comentar decisão que lhe afastou do cargo

    O município de Bacuri, distante 485 km de São Luís, sofreu mais uma reviravolta política nesta quinta-feira.

    O juiz Daniel Blume, do Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão (TRE/MA), tornou sem efeito liminar concedida pela juíza Katia Coelho de Sousa Dias que autorizou, no início deste mês, a diplomação e posse do prefeito Dr. Washington (PDT) – reveja.

    Com a decisão do magistrado, Bacuri, a partir de agora, volta a ser administrada temporariamente pelo presidente da Câmara Municipal, vereador Mauro Rocha Mendonça (PMN).

    Dr. Washington, em contato com o editor do blog, disse que seus advogados já estão recorrendo da decisão do juiz.

    Ele afirmou que vem sofrendo uma perseguição política sistemática praticada pelo grupo do ex-prefeito José Baldoíno, responsável por implantar um verdadeiro caos na cidade.

    O pedetista foi eleito prefeito do município ano passado obtendo mais de 47% dos votos válidos, batendo outros cinco concorrentes. No entanto, teve a candidatura indeferida pela Justiça.

    Ele disse estar confiante de que conseguirá reverter a decisão, o que irá fazer com que a vontade soberana do eleitor seja respeitada.

    “Iremos, sim, reconstruir Bacuri, que foi totalmente destruída ao longo dos últimos quatro anos”, garantiu.

    Em seu despacho, Daniel Blume entendeu que uma decisão liminar, proferida pela juíza Kátia Coelho, não deve ter força para “afastar o comando de um acórdão da Corte Eleitoral”.

    “E mais, a medida liminar extrema tomada em sede de declaratórios, em plantão, não pode afastar o comando de um acórdão da Corte Eleitoral. É mais prudente que, até o julgamento colegiado dos Segundos Embargos, sejam mantidos os efeitos da decisão colegiada da Corte Eleitoral, proferida nos Primeiros Declaratórios”, completou o magistrado.

    Do Gláucio Ericeira

    0 Comentários

    Deixe o seu comentário!