Logo
  • Bancários maranhenses decidiram em Assembleia continuar em greve por tempo indeterminado.

    Por Zeca Soares
    Os
    bancários maranhenses decidiram em assembleia continuar em greve por tempo
    indeterminado, após rejeitarem a nova proposta apresentada pela Fenaban nesta
    sexta-feira (04).  A paralisação nacional entra hoje no 17º dia.
    A
    nova proposta eleva de 6,1% para 7,1% o índice de reajuste sobre os salários e
    para 7,5% sobre o piso salarial. A proposta mantém as regras da PLR do ano
    passado.
    Para
    o presidente do Sindicato dos Bancários (SEEB-MA) José Maria Nascimento, a nova
    proposta dos banqueiros é rebaixada e insuficiente diante dos lucros
    bilionários dos bancos e dos baixos salários pagos à categoria. Ele esclareceu
    que o índice de 7,1% só repõe a inflação do período, representando, na verdade,
    apenas 0,97% de aumento nos salários dos bancários.
    Segundo
    o presidente, a tendência é que o movimento se intensifique ainda mais na
    próxima semana em todo o país.  Ontem (4) 11.409 agências e centros
    administrativos de bancos privados e públicos foram paralisados nos 26 estados
    e no Distrito Federal.
    As
    principais reivindicações dos bancários maranhenses são: reajuste de 22%, PLR
    de 25% linear, contratação de mais bancários, combate ao assédio moral, saúde,
    segurança, dentre outras.
    Ato público e Assembleia
    Na
    segunda-feira (7) às 9h, a categoria realizará ato público, em frente ao Banco
    do Brasil da Praça Pedro II, no Centro de em São Luís. No fim do dia, às 17h,
    os bancários voltam a se reunir em assembleia, na sede do SEEB-MA, para avaliar
    e definir os próximos passos do movimento no Maranhão.

    0 Comentários

    Deixe o seu comentário!