Logo
  • Cabo Campos defende policiais acusados de participação em homicídio

    O deputado estadual Cabo Campos
    (PP)  saiu em defesa dos policiais militares acusados de
    participação no homicídio ocorrido na tarde do dia 28 de maio, no
    município de Vitória do Mearim. Campos afirmou que os PMs que estão presos
    “não cometeram” o crime. “Quero afirmar minha defesa aos companheiros,  o
    1º Sargento Miguel e o soldado Gomes que estão sendo acusados injustamente
    desse homicídio. Afirmo que é ilegal esses policiais estarem presos. Estão
    fazendo marketing político com dois trabalhadores  que foram convidados
    para vir aqui a São Luís e aqui deram prisão flagrante neles. Este parlamentar
    que vos fala já colocou o seu advogado à disposição desses dois e vamos
    acompanhar passo a passo”, afirmou Campos.
    Ainda
    debatendo sobre o assunto em prol dos PMs, Cabo Campos disse que deve-se ter
    cautela em acusar trabalhares que zelam pela paz do estado baseado em fatos
    inconsistentes. “Se formos analisar friamente o vídeo em que esses dois
    trabalhadores, primeiro o sargento Miguel e o soldado Gomes estão, vamos ver
    que não têm culpa nenhuma. O vídeo de 1min57s que se observado atentamente,
    teremos essa percepção que os PM’s não estavam no local da execução. Os PM’s
    chegaram segundos depois sem ouvir os disparos”, disse.
    Cabo
    Campos pede que atentem para os três primeiros segundos do vídeo. “Ele
    começa com a câmara girando e rapidamente mostrando o outro lado da rua, notem
    que o outro lado da rua está vazio, não há viatura ali, notem que ao fim do
    vídeo, a VTR está exatamente naquele local que, inicialmente, estava vazio do
    outro lado da rua, ou seja, chegou depois dos disparos. Essa constatação isenta
    os PM’s de omissão criminosa ou cumplicidade. Outra coisa; ninguém disse para
    eles, quando eles retornaram com o segundo suspeito preso e ferido com o tiro,
    que o vigilante havia executado o suspeito no chão. Eles recolheram o suspeito,
    achando que estava apenas ferido e levaram para o hospital”, disse Campos.
    O
    parlamentar ainda relembrou o ocorrido no de 2012, na corrida eleitoral à
    Prefeitura de São Luís, fazendo a referência do fato dos policiais militares.
     “Ainda este deputado que vos fala, quando policial, no ano de 2012, para
    que um candidato à Prefeitura de São Luís pudesse se sobrepor ao atual prefeito
    da cidade, fizeram um vídeo, chamado vídeo da Milícia 36. Prenderam 10 pais de
    famílias, 10 trabalhadores da Segurança Pública, entre policiais militares e
    bombeiros militares, com o fino e total objetivo de desqualificar, em primeiro
    lugar, os trabalhadores e de fazer uma reversão naquilo que o ibope
    apontava, ou as pesquisas apontavam. E
    esse que vos fala passou 8 dias em cárcere. Posteriormente, com sangue frio,
    viram que o vídeo era totalmente montado, totalmente editado. Se analisarmos
    atentamente o vídeo em que esses dois trabalhadores, estão, vamos ver que eles
    não têm culpa nenhuma”, finalizou Campos.

    0 Comentários

    Deixe o seu comentário!