Logo
  • Cabo Campos em ação


    Do Robert Lobato

    Considerada
    uma das grandes surpresas do pleito de 2014, a eleição do Cabo Campos (PP) para
    deputado estadual pode representar uma grande conquista para a categoria de
    policiais militares ao longo dos seus quatro anos de mandato na Assembleia
    Legislativa.
    Antes
    mesmo de assumir, Cabo Campos é visto constantemente pelos corredores do parlamento
    maranhense, visitando alguns deputados, buscando informações sobre o
    funcionamento da atividade parlamentar, além de contatar as Secretarias de
    Estado que são responsáveis pela execução de políticas públicas que têm a
    ver com as bandeiras que o militar e futuro deputado defende, como é o caso da
    segurança pública,  educação e juventude.
    Não
    obstante sua ação parlamentar ser direcionada principalmente para os interesse
    dos policiais e bombeiros militares, Cabo Campos tem se
    aprofundado fortemente no estudo do Programa
    Educacional de Resistência as Drogas e Violência
    (Proerd).
    O
    Proerd desenvolve várias ações educativas e interdisciplinares para
    conscientização sobre o flagelo das drogas, envolve ainda várias
    secretarias estaduais e municipais, e tem como público-alvo estudantes do
    ensino infantil e fundamental.
    “Tenho estudado bastante sobre
    o Proerd para levar esse debate à Assembleia Legislativa. Sou um agente
    público da segurança da sociedade e sei que muita da violência que tem tomado
    conta do nosso estado e da nossa capital tem as drogas como causa principal.
    Por isso, meu mandato será dirigindo principalmente para esta temática e,
    claro, para a defesa de melhores condições profissionais e estruturais para os
    policiais e bombeiros militares do Maranhão”
    , disse Cabo
    Campos ao Blog do
    Robert Lobato
    .
    Como
    se pode ver, Cabos Campos caminha para deixar de ser apenas uma “surpresa
    eleitoral” para se tornar uma grata surpresa política na Assembleia
    Legislativa.
    Nada
    mal para um negro de origem pobre e que só tem o ensino médio.

    0 Comentários

    Deixe o seu comentário!