Logo
  • Casa de ferreiro espeto de pau: Mulher e cunhado do diretor do Hospital da Baixada procuram atendimento em hospital de São Luís

    Cristiane, mãe das filhas  do Dr. Leonardo Sá, aguardando atendimento na UDI hospital na capital do estado.

    Cristiane, mãe das filhas do Dr. Leonardo Sá, aguardando atendimento na UDI hospital na capital do estado.

    O que a razão não pode justificar, só mesmo a sabedoria popular para explicar.

    Explicação, aliás, é o que devem aos pinheirenses e ao povo da Baixada as personagens deste click enviado ao blog nesta tarde. Na verdade, o casal e o médico, vereador e diretor do Hospital Regional de Pinheiro, Leonardo Sá.

    Explica-se. Enquanto a população da Baixada sofre na pele com a falta de atendimento, de médicos e de equipamentos e com as condições precárias de funcionamento oferecidas pelo Hospital Regional Dr Jackson Lago, o casal em questão recorre à UDI, conhecido hospital particular da capital, em busca do atendimento que certamente não encontraram no hospital de Pinheiro.

    Identificado por um leitor do blog, o casal da foto é nada menos do que Rodrigo e Cristiane, respectivamente cunhado e mãe das filhas  de Leonardo Sá. Na imagem ambos aparecem acompanhados de uma criança, supostamente a filha do médico Leonardo Sá, aguardando atendimento na UDI.

    Inaugurado com pompa pelo governo Flavio Dino há cerca de 100 dias, o Hospital Regional da Baixada, sediado na cidade de Pinheiro, ainda não disse a que veio. Dirigido pelo médico Leonardo Sá, pré-candidato nas eleições municipais de outubro, o hospital tem trazido mais dores de cabeça do que tem ajudado a garantir a saúde dos baixadeiros, servindo mais como cabide de emprego e como moeda política do que para as suas finalidades.

    No local faltam equipamentos, o atendimento é precário e o corpo técnico (boa parte selecionado através de um processo de recrutamento duvidoso feito por uma instituição desconhecida do grande público) precisa de reforço, além de viver sob constante ameaça de dispensa para que sejam acomodados os aliados do médico Leonardo Sá, já em plena campanha pela Prefeitura de Pinheiro.

    Conseguir vaga para algum dos poucos procedimentos que o hospital regional oferece é uma verdadeira dor de cabeça, um processo humilhante para quem necessita. Reza a lenda que atendimento lá, ao contrário das mentirosas estatísticas amplamente divulgadas, só com o aval do diretor, Leonardo Sá. Até mesmo os aliados mais próximos reclamam da dificuldade de acesso e esbravejam, sem sucesso, nas redes sociais. Surdo e mudo a essas reclamações, o médico age como se fosse dono de um feudo – manda e desmanda, faz e desfaz, sem mostrar resultado algum e muito menos capacidade para resolver mesmo as questões mais simples do dia a dia. Enquanto isso, a saúde da Baixada agoniza na UTI, já que nem todo mundo pode recorrer à UDI quando precisa.

    Rodrigo, cunhado do Diretor do Hospital Regional, Dr. Leonardo Sá, aguardando atendimento na UDI hospital na capital do estado.

    Rodrigo, cunhado do Diretor do Hospital Regional, Dr. Leonardo Sá, aguardando atendimento na UDI hospital na capital do estado.

    Desde o início das atividades, o hospital tem chamado mais atenção pelos índices de mortalidade registrados nos Sistemas do SUS, pela ausência de resolutividade e pelas trapalhadas protagonizadas pelo diretor. E, claro, também pela disputa por espaço político entre Leonardo Sá e Luciano Genésio, que brigam pela direção do hospital até hoje, um querendo derrubar o outro.

    Certamente, dentre estes estão os motivos que levaram o casal da foto – Rodrigo e Viviane, parentes próximos de Leonardo, a buscar na UDI o atendimento que o Hospital Regional não oferece.

    Até aí, tudo bem! Ter o melhor atendimento de saúde é um direito, principalmente quando se pode pagar. Ruim é quem não pode, que depende da rede pública e que acreditou que o Regional da Baixada seria a cura de muitos males.

    É para essas pessoas que Leonardo Sá, Flavio Dino, Marcos Pacheco e companhia devem uma explicação, que pode até ser justa, mas não pode tardar.

    Agora, cá pra nós, que esse flagrante pegou mal para Leonardo Sá, não há dúvida. O caso mostra, antes de tudo, que nem os parentes do doutor confiam na enganação que é esse Hospital.

    Salve-se quem puder!

    Do Blog Piaba Frita

    0 Comentários

    Deixe o seu comentário!