Logo
  • Eleição indireta em debate na Assembleia

    Deputado estadual Marcos Caldas
    A
    provável eleição indireta na Assembleia Legislativa, caso a governadora Roseana
    Sarney (PMDB) renuncie ao cargo para disputar a eleição para o Senado Federal,
    foi o principal assunto desta terça-feira (11), no parlamento estadual.
    Acontece
    que a Assembleia aprovou hoje um pedido de urgência do deputado Tatá Milhomem
    (PSD), para a votação do Projeto de Lei do deputado Edilázio Júnior (PV), que
    trata sobre a eleição indireta, divulgado com exclusividade pelo Blog (reveja).
    No
    entanto, o deputado Marcos Caldas (PRP) “atrapalhou” a votação, pois apresentou
    uma emenda ao texto original do Projeto de Lei nº 012/2014. Caldas quer mais
    algo mais democrático e quer que fique claro que a Resolução que regulamentará
    a eleição indireta deverá ser aprovada ou não pelo Plenário.
    “Com
    certeza a ideia é termos algo mais democrático, pois vivemos numa Casa
    Legislativa, onde a maioria é soberana. Então entendemos que a Mesa Diretora
    até pode fazer a Resolução, mas a aprovação ou não dessa Resolução dependerá do
    Plenário, ou seja, da maioria dos 42 deputados”, explicou Marcos Caldas.
    O
    presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), deputado Jota Pinto
    (PEN), pediu vistas e nesta quarta-feira (12), deve devolver o Projeto de Lei e
    a emenda para a votação ser concluída.

    o autor do Projeto de Lei, deputado Edilázio Júnior, alega que a emenda é
    desnecessária, pois segundo o parlamentar, o artigo 3º que diz: “A Assembleia
    Legislativa por resolução regulamentará a eleição prevista em lei”, já
    contempla a emenda do colega Marcos Caldas.
    De
    qualquer forma, como já dizia minha avó: o que abunda, não prejudica, ou seja,
    é melhor pecar por excesso do que por falta.
    Pelo
    visto, muita coisa deve acontecer até a elaboração da Resolução que
    regulamentará uma provável eleição indireta na Assembleia Legislativa.

    Do blog do Jorge Aragão

    0 Comentários

    Deixe o seu comentário!