Logo
  • Estudante de Direito é suspeito de violentar e filmar jovem em Viana

    Policiais Civis, sob a coordenação da delegada regional de
    Viana, Maria Eunice Ferreira, prenderam em flagrante, na segunda-feira (26),
    Thiago Pereira da Silva, 29 anos, suspeito de ter cometido o crime de abuso
    sexual e violência doméstica contra uma jovem naquele município.
    O crime foi denunciado pela
    própria vítima, K.D.C.F., de 18 anos, que após dois anos sofrendo abusos,
    resolveu procurar comunicar o fato a polícia. Na ocasião, ele tentou invadir a
    casa da garota, que fugiu pelos fundos com a mãe e procurou a polícia. A polícia
    localizou o suspeito em um bar na rodoviária da cidade.
    Ele foi encaminhado à Delegacia
    Regional de Viana e autuado em flagrante pelo crime de violência doméstica. A
    delegada, também, representou o pedido de prisão preventiva do suspeito, sob a
    alegação de estupro a vulnerável. “Enquanto estiver à frente da Delegacia
    Regional de Viana, esforços não serão poupados para coibir a prática desse tipo
    de crime”, destacou a delegada Maria Eunice.
    Sobre o caso
    A relação entre ele e a garota
    começou por uma rede social. Thiago é bacharel em Ciência da Computação e
    acadêmico do 7º período de Direito. A garota, na época com 16 anos, marcou um
    encontro com ele em sua residência no município de Viana.
    Thiago aceitou o convite e
    viajou para o interior no intuito de conhecer pessoalmente a jovem,
    conquistando também a confiança de toda a família. No primeiro ato sexual com a
    garota, ele impôs que fosse filmado, a menina se recusou e ele a obrigou.
    Desde então, ela vinha sendo
    estuprada e, também, sofria agressões físicas. A família da garota ainda tentou
    intervir, mas foi coagida com as ameaças do estudante de Direito.
    Abusos
    Em depoimento, a jovem contou
    que desde os 16 anos de idade era obrigada a manter relações sexuais com
    Thiago, e que os atos libidinosos eram filmados e que a maioria dos abusos
    ocorriam em São Luís, onde o acusado possui uma casa no Residencial Granada ,
    no Bairro da Forquilha. Informou ainda, ter uma filha de sete meses de vida
    concebida dos abusos.
    Segundo informações policiais,
    ele mantinha fotos, filmagens dos atos sexuais praticados com a garota, e as
    usava para chantagear a vitima, sob a ameaça de publicar o material na internet. Com receio do
    vazamento do material obsceno denegrindo sua imagem, a vítima aceitava os
    estupros. Os investigadores, também, encontraram várias mensagens (via
    celular), ameaçadoras e constrangedoras, que serão anexadas aos autos do
    processo, como prova para o pedido de prisão preventiva do suspeito.
    Os familiares da vítima,
    também, foram ameaçados inclusive com a divulgação de fotos da menina em
    intimidade com o rapaz em seus celulares particulares.
    Thiago ficará custodiado na
    Delegacia Regional de Viana, à disposição da Justiça. Por ser réu de nível
    superior, ele deverá ser transferido para são Luís e ficará em uma cela
    especial.
    Outra jovem de São Luís, com as
    mesmas características de K.D.C.F., menor de idade e de origem pobre, também
    foi vitima de Thiago. O caso foi registrado na Delegacia Especial da Mulher
    (DEM) e está sendo investigado.
    Denuncie
    A Polícia Civil investiga agora
    se há outras mulheres que foram violentadas pelo estuprador. As vitimas que
    reconhecerem o homem, pode fazer a denúncia na DEM.
    A delegada Maria Eunice chama a
    atenção da sociedade para os crimes cibernéticos, propiciados pela facilidade
    em se relacionar pelas redes sociais. “Os pais devem acompanhar as ações dos
    filhos na rede mundial de computadores”, alertou.
    A Superintendência Estadual de
    Investigações Criminais (Seic) disponibiliza do Departamento de Combate à
    Crimes Tecnológicos – responsável pela investigação de crimes cometidos na
    internet. As denúncias sobre este tipo de crime podem ser repassadas pelos
    fones (98)3214-8657 e (98)32148659.

    o Imparcial

    2 Comentários

    1. Com relação a materia publicada nos links acima comentamos;

      PRIMEIRO – se esse rapaz tivesse nascido mulher com certeza que não seria bandido. Então, logo o primeiro pressuposto para ser bandido é ser homem, se virar homossexual, deixa de ser bandido, claro!

      SEGUNDO – Essa jovem não é mais criança, inclusive, sabemos que, desde os 16 anos de idade, já se pode antecipada maioridade para os atos da vida civil. Como uma menor poderá responder por outro menor (por uma criança) ?. Ou seja, não há de se falar em “de menor”. O Novo Código Civil de 2002 prevê em seu art. 5º, parágrafo único, as hipóteses de emancipação, ou seja, DA
      ANTECIPAÇÃO DA MAIORIDADE, conferindo a capacidade civil àqueles que ainda não atingiram a idade legal.
      Aos dezesseis anos, a sociedade, o legislador e os juristas já entendem que uma jovem possui condições de ser responsável, já pode adquirir a maioridade, e o mais grave; cuidar de uma criança.

      http://evandeandrade7.blogspot.com.br/

    2. Estudante de Direito é suspeito de violentar e filmar jovem em Viana

      RESPOSTA – Veja mais em:

      http://evandeandrade7.blogspot.com.br/2012/11/estudante-de-direito-e-suspeito-de.html

    Deixe o seu comentário!