Logo
  • Fortalecido no DEM, deputado Cabo Campos é desejado por Pré-Candidatos à prefeitura de São Luís.

    cccO deputado Cabo Campos concedeu entrevista ao Blog Voz da Raposa  e dentre os principais assuntos, o parlamentar falou sobre sua surpreendente ascensão depois de sua ida para o DEM maranhense.

    Em respeito a todos os eleitores que confiaram seus votos a mim, em especial aos 10.235 (dez mil duzentos e trinta e cinco) votos que tive no município de São Luís, quero esclarecer alguns pontos sobre a sucessão municipal em nossa capital:

    1. Tenho uma relação respeitosa e história política com os pré-candidatos Eliziane Gama, posto que fui candidato a Vice-Prefeito em chapa encabeçada pela Deputada, nas eleições de 2012, além de ter recebido importante apoio da então Deputada Estadual quando dos movimentos reivindicatórios da PMMA, nos anos de 2011 e 2014;
    1. Mantenho o mesmo respeito ao atual prefeito de São Luís Edivaldo Holanda Júnior, que apoiei no segundo turno das eleições de 2012, lembrando que cheguei a ser preso, no episódio das “milícias” por apoiar o então candidato Edivaldo Jr;
    1. Por justiça, preciso citar o nome do pré-candidato a prefeito de São Luís Bira do Pindaré, que, assim como Eliziane, nos deu todo o apoio quando das paralisações ocorridas na PMMA em 2011 e 2014;
    1. Apoiar qualquer um destes três candidatos seria, para mim, natural e perfeitamente normal, visto que militamos nos mesmos campos e com objetivos semelhantes;
    1. Além deles, tenho convivido nos últimos 13 meses com o deputado Wellington do Curso, Eduardo Braide, e com o também deputado Neto Evangelista, todos têm meu respeito e compartilhamos causas em comum.Eleição

    O Fato do partido ao qual estou filiado, DEMOCRATAS, ter fechado questão quanto ao apoio ao prefeito Edivaldo Jr. não me obriga a um alinhamento automático com o Palácio de La Ravardière, posição essa já tratada com a executiva estadual do DEM. Logo, apoiar ou não Eliziane, Edivaldo ou Bira será uma decisão que nosso grupo político tomará no tempo adequado e com toda tranquilidade.

    Por fim quero dizer de forma clara que as discussões internas em nosso grupo passam pelas propostas a serem apresentadas por cada um dos candidatos, pela credibilidade que cada um apresenta e pela avaliação de desempenho em seus respectivos mandatos…

    Escolheremos nosso candidato programaticamente, e não pragmaticamente, por entendermos que o país clama por uma nova política, com novas práticas e novos compromissos. Escutemos, pois, a voz que vem das ruas.

    0 Comentários

    Deixe o seu comentário!