Logo
  • Gov. Nunes Freire: vereador morto após espancamento denunciaria esquema na Câmara

    O
    vereador Paulo Lopes Sales (PT), de Governador Nunes Freire, que morreu na
    semana passada após ter sido espancado e abandonado às margens da BR-316, entre
    Nunes Freire e Maracaçumé, denunciaria um esquema de fraude envolvendo a
      nomeação de funcionários fantasmas na Câmara Municipal.
    No
    momento em que foi assassinato, o petista se dirigia a um sítio, onde vários
    documentos sobre o caso estavam guardados.
    A
    suspeita de crime político é a principal linha de apuração da Polícia Civil,
    que já tem investigações “bem adiantadas”, segundo informa fonte do blog. Nesta
    terça-feira (18) o secretário de Estado da Segurança Pública, Aluísio Mendes,
    deve  estar pessoalmente na cidade, acompanhado os próximos passos dos
    investigadores.
    Logo
    após a morte do vereador, o presidente do diretório estadual do PT,
    Raimundo Monteiro, levantou a hipótese de  crime político.
    “Há
    suspeita de se tratar de um crime político, já que o vereador era oposição à
    gestão do município e era bastante atuante”, disse.
    Imediatamente,
    o prefeito Marcel Curió (PV) emitiu nota, chamando de “ilações irresponsáveis”
    as suspeitas de motivação política para o crime.
    “O
    prefeito Marcel Curió vem a público repudiar as ilações irresponsáveis
    promovidas por algumas pessoas sobre a existência de possíveis motivações
    políticas para o ocorrido, devido ao fato de o vereador compor o bloco de
    oposição à atual administração municipal”, diz a comunicado oficial.
    Do blog do Gilberto Léda

    0 Comentários

    Deixe o seu comentário!