Logo
  • José Sarney: De Pinheiro para o Brasil.

    De Pinheiro para o Brasil. O maranhense que entrou para a história do
    país anunciou, na última semana, que não disputará mais cargos eletivos. O
    cansaço dos quase sessenta anos de vida pública fez com que José Sarney
    repensasse a sua permanência na disputa de eleições.
    Considerado
    um mito por ter percorrido várias esferas de poder, Sarney , aos 84 anos de
    idade, resolveu encerrar as disputas eletivas cumprindo o seu mandato enquanto
    senador pelo Amapá.

    História
    A sua trajetória começou logo em 1955, quando estreou na Câmara dos Deputados
    aos 25 anos. Ele ainda teve pela frente mais duas legislaturas como deputado
    federal, até o ano de 1965, quando foi eleito governador do estado do Maranhão,
    com 60% dos votos válidos.


    Logo após cumprir o seu mandato de governador, José Sarney foi eleito senador
    pelo Maranhão. E assim o fez por duas vezes, até 1985, ano em que assumiu a
    presidência da República, logo após 21 anos de regime ditatorial no país.

    Como foi o primeiro presidente após a ditadura no Brasil, à José Sarney coube a
    tarefa de fazer a transição democrática do Brasil. Em entrevista ao jornal O
    Imparcial no ano passado, José Sarney declarou que os resultados obtidos com a
    estadia dele na presidência da República, muito o confortam.
    “Após
    28 anos de ter assumido a Presidência da República, confortam-me os resultados
    que obtivemos: a instauração de uma das maiores e mais poderosas democracias, o
    maior clima de liberdades que já teve este País, os melhores avanços na área
    dos direitos individuais e civis, bem como a implantação de direitos sociais
    que até então não existiam e passaram a ser o carro-chefe das preocupações dos
    Governos seguintes”, disse o senador.

    Na oportunidade, José Sarney citou alguns benefícios ocorridos durante o
    exercício na Presidência, que o consagraram como um governador democrata. “Para
    citar algumas delas, recordo a maior de todas: a universalização da saúde. No
    Brasil, apenas trabalhadores com carteira assinada tinham direito ao benefício
    da assistência à saúde, custeado pelo Estado. Hoje, depois do meu Governo,
    todos os brasileiros passaram a ter direito a esse benefício, uma conquista
    coberta do nascimento até a morte”, lembrou o ex-presidente.

    José Sarney lembrou que a sua gestão enquanto presidente da República foi
    marcada por relevantes conquistas sociais, sendo tal afirmativa confirmada por
    cientistas sociais. “Os estudiosos da história recente da democracia no mundo
    ressaltam que a mudança mais profunda feita no Brasil foi a realizada durante o
    meu Governo. E também que a nossa Constituição é a que mais tempo passou sem
    ruptura na História da República”, disse Sarney.
    Sarney
    fora da política?

    Muitos parlamentares maranhenses, que possuem certo grau de amizade pessoal com
    José Sarney, declararam que ele já vinha demonstrando sinais de que gostaria de
    deixar a política. O deputado estadual Raimundo Cutrim (PCdoB), que por muitos
    anos fez parte do mesmo grupo político de Sarney, afirmou que ele já afirmava
    essa vontade. “Eu tenho uma amizade muito grande, que não se mistura com
    política partidária. Ele tem essa vontade essa desde dezembro do ano passado.
    Ele é a pessoa mais indicada para saber se deve continuar ou não”, disse.


    Cutrim afirmou que José Sarney tem uma história relevante para o país, visto
    sua longevidade na vida pública, mas ressaltou que tudo tem a sua época. “Ele é
    o político de maior longevidade no Maranhão ou mesmo no Brasil. Tem uma
    história muito relevante. Tudo tem sua época, a vida vai passando em gerações”,
    declarou.

    O deputado Marcos Caldas (PRB) afirmou que o ex-presidente José Sarney deu
    grande contribuição para o Brasil e para o Maranhão. “O presidente Sarney deu
    uma grande contribuição para o Brasil e para o Maranhão. Não tem um político
    maranhense que não admire o Sarney, que tem uma trajetória política muito
    bonita, de vencedor”, ressaltou.

    Apesar de afirmar toda a admiração, Caldas defendeu o direito ao descanso do
    senador. “Ele tem todo o direito de descansar e ficar perto de sua família. Eu
    também teria esse mesmo pensamento”, afirmou.

    O deputado Magno Bacelar disse que tem esperanças de que ele volte atrás da
    decisão noticiada e que o país precisa dele neste momento. “Eu particularmente
    torço para que ele continue no Senado Federal. Ele é competente e o país
    precisa de Sarney, neste momento”, declarou.

    O presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, Arnaldo Melo (PMDB),
    ressaltou que José Sarney tem a experiência suficiente para ter o discernimento
    sobre a permanência na vida política. “É um homem que tem uma vida longa na
    política e deu contribuições inestimáveis ao Maranhão e ao país. São muitos
    mandatos, ele tem direito a essa privacidade. Um homem de 84 anos sabe o
    momento de parar”, assegurou.

    Arnaldo Melo também lamentou a notícia de aposentadoria de José Sarney e disse
    esperar que ele continue colaborando com o desenvolvimento do país.
    “Pessoalmente eu lamento que um homem com o conhecimento e experiência que ele
    tem pare suas atividades. Gostaria que mesmo que não dispute um mandato
    eletivo, que ele continue ajudando os estados brasileiros, ele é um homem
    estadista”, defendeu o presidente.
     
    O Imparcial. 

    0 Comentários

    Deixe o seu comentário!