Logo
  • Baixada discute estratégias para aumentar lucratividade da piscicultura

    Na 5ª edição do
    Seminário de Piscicultura da Baixada Maranhense, realizado pelo Sebrae,
    produtores buscam estratégias para sustentabilidade da atividade
    Cerca de 150 participantes estiveram presentes à abertura do Seminário
    no primeiro dia de atividades. 
    As
    perspectivas da piscicultura na Baixada Maranhense e a busca de estratégias que
    garantam a sustentabilidade da atividade econômica na região são as principais
    pautas da discussão levantada pelo Seminário de Piscicultura da Baixada
    Maranhense, que chegou à sua quinta edição, numa realização do
    Sebrae no Maranhão. 
    Na
    abertura das atividades, realizada nesta quarta-feira (21), cerca de 150
    pessoas, entre pequenos produtores, estudantes, agentes de desenvolvimento,
    pesquisadores e técnicos atuantes na região, participaram das palestras e
    debates, buscando identificar pontos fortes e fracos da piscicultura, além de
    mapear ameaças e oportunidades do mercado.
    De acordo
    com o diretor superintendente do Sebrae no Maranhão, João Martins, esta nova
    edição do seminário trouxe uma programação planejada para atender às demandas
    apresentadas pelos piscicultores presentes à Agritec realizada no último mês de
    agosto, na cidade de São Bento. “É preciso dialogar com os pequenos produtores
    para que seja possível conhecer as principais necessidades do grupo produtivo e
    buscar soluções em conjunto que possam garantir a sustentabilidade dos pequenos
    negócios deste segmento”, pontuou Martins.
    Atualmente,
    a Baixada é um dos principais polos de produção piscicultora no Estado e conta
    com um projeto do Sebrae exclusivamente voltado para a estruturação e o
    desenvolvimento da atividade. O projeto é tocado pela unidade regional do
    Sebrae em Pinheiro e atende a 80 piscicultores dos municípios de Pinheiro, São
    Bento, Bequimão e Santa Helena.

    Na oficina de beneficiamento de pescado, produtores
    aprenderam técnicas que podem aumentar o valor da produção. 
    Dentre os
    desafios a serem superados estão a abertura de novos mercados, um maior
    estreitamento das relações entre as associações de produtores e o poder público
    dos municípios envolvidos e o investimento conjunto em unidades de
    beneficiamento do pescado – que ajudam a agregar valor ao produto, aumentando a
    lucratividade, permitindo a conservação do pescado para consumo em períodos de
    entressafra e garantindo a sustentabilidade do negócio.  
    A gerente
    do Sebrae em Pinheiro, Rosa Amélia Borges, lembra que o Sebrae tem trabalhado
    para ampliar o mercado consumidor do que é produzido na Baixada. Uma das ações
    significativas desta iniciativa foi a aproximação de piscicultores de Bequimão
    e os restaurantes da cidade de Alcântara que participaram do Festival
    Gastronômico Sabores do Pescado, promovido pelo Sebrae neste mês de outubro.
    “Foi uma iniciativa que aproximou as duas pontas da cadeia produtiva e efetivou
    uma parceria que deve ser duradoura e pode até estender-se a outros municípios
    da região”, ressaltou Rosa.
    Programação – Além
    das discussões e palestras, os participantes do Seminário de Piscicultura da
    Baixada Maranhense também contaram com oficinas que orientaram sobre técnicas
    inovadoras para o manejo, o arraçoamento nos tanques e o beneficiamento do
    peixe. Um Dia de Campo está programado para esta sexta-feira, 23, no
    encerramento do evento. Na oportunidade, os participantes poderão acompanhar
    atividades práticas e a testagem da qualidade da água dos tanques visitados.
    Para o
    presidente da Associação de Piscicultores de São Bento, José Carlos Silva, a
    atuação do Sebrae tem sido definitiva para a melhoria da produção regional do
    pescado criado em cativeiro e a continuidade da parceria é muito bem-vinda.
    “Buscamos melhorar sempre nosso negócio e não abrimos mão do apoio do Sebrae,
    que tem sido o grande incentivador dessa atividade na Baixada”, disse o
    piscicultor.
    O
    seminário conta com a parceria da Uema, Senar, prefeituras de São Bento,
    Bacurituba, Cajapió, associações de piscicultores da Baixada Maranhense,
    Cooperativa de Piscicultores e Pescadores Artesanais da Baixada e Ifma.

    0 Comentários

    Deixe o seu comentário!