Logo
  • Othelino Neto solidariza-se com juiz Marlon Reis

    Othelino solidarizou-se ao juiz Marlon Reis
    O
    deputado estadual Othelino Neto (PCdoB) usou a tribuna, na sessão desta
    quinta-feira (11), para se solidarizar com o juiz Marlon Reis quanto à polêmica
    envolvendo a publicação do livro que se intitula “O Nobre Deputado”, no qual
    ele faz uma abordagem sobre casos de políticos que são eleitos através da
    compra de voto. “A leitura chama a atenção para um fato grave e importante.
    Infelizmente, no Brasil, a corrupção existe na política e precisa, claro, ser
    combatida”, disse.

    Durante
    o pronunciamento, Othelino criticou o presidente da Câmara Federal, deputado
    Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), por ter  representado contra o juiz por
    conta da publicação ao considerar que houve excessos e que a classe política
    teria sido agredida, insultada, em particular a instituição que ele preside.
    Segundo o deputado maranhense, o parlamentar tem o direito de se manifestar,
    mas considera que a ação foi um excesso.
    Juiz Marlon Reis é autor de livro polêmico
    “Embora
    o livro seja uma generalização, existem bons políticos e maus políticos, como
    existem bons juízes e maus juízes, bons profissionais nas mais diversas áreas e
    maus profissionais. Mas daí o fato de entrar com uma representação para pedir
    punição a alguém que abordou um assunto sensível, porém real, eu considero isso
    um excesso. Afinal de contas, nós temos que preservar o sagrado direito do
    cidadão de manifestar as suas opiniões, sem, contudo, ferir a honra dos
    demais”, disse Othelino Neto.
    Para
    o deputado maranhense, o livro do magistrado Marlon Reis, na realidade, é fruto
    de uma pesquisa, de observação de episódios ocorridos na República e o direito
    de opinião que tem o juiz deve ser respeitado. “É um juiz atuante não só na sua
    comarca, mas foi um dos entusiastas da Lei da Ficha Limpa, um avanço na
    democracia brasileira. A representação feita pelo presidente da Câmara acabou
    sendo encaminhada para o Tribunal Regional Eleitoral”, disse.
    O
    deputado defende que seja respeitado o direito à livre opinião de um juiz que
    milita na área há muito tempo e já deve, inclusive, ter vivenciado situações
    onde teve que aplicar a lei para punir excessos nos processos eleitorais.
    “Dessa forma, fica aqui o registro e o apelo para que se evite fazer uma
    punição a um juiz que tem prestado bons serviços à sociedade maranhense e ao
    Brasil”, finalizou.

    0 Comentários

    Deixe o seu comentário!