Logo
  • Othelino volta a denunciar precariedade no atendimento da agência do BB em Pinheiro

    Além de repetir o apelo na tribuna, o deputado disse que avalia a possibilidade de fazer uma representação contra o Banco do Brasil para que cumpra a Lei. 
    O
    deputado estadual Othelino Neto (PCdoB) voltou a criticar, na sessão desta
    segunda-feira (25), a precariedade na prestação de serviços do Banco do Brasil
    na Baixada Maranhense, sobretudo no município de Pinheiro, onde os clientes se
    queixam de permanecer horas nas filas para obter um atendimento e agora nem
    fazer saques no caixa eletrônico, no final de semana, eles conseguem. O
    parlamentar já esteve na tribuna pelo mesmo motivo há 45 dias, provocado por
    cidadãos da região, mas nenhuma providência foi tomada.
    Othelino
    reiterou que o Banco do Brasil de Pinheiro não atende apenas esse município,
    mas a população de várias outras cidades que acabam tendo como referência esta
    agência, desde Alcântara, Bequimão, Peri-Mirim, Palmeirândia, Santa Helena,
    Presidente Sarney e Turilândia. “E o que se vê é um atendimento cada dia pior e
    agora ficou ainda mais cruel a situação, porque, nos fins de semana, já é
    comum, na sexta-feira à noite, as pessoas não conseguirem mais sacar dinheiro
    no caixa eletrônico”, denunciou.
    Além
    de repetir o apelo na tribuna, o deputado disse que avalia a possibilidade de
    fazer uma representação contra o Banco do Brasil para que cumpra a lei, os seus
    compromissos e para que preste um atendimento de qualidade a toda população, em
    especial, neste caso, de Pinheiro. “Peço isso não só em função das mais de 80
     mil pessoas que moram no município, mas pelos diversas cidades e
    localidades que estão no entorno e que são atendidas também naquela agência”,
    afirmou.
    Segundo
    Othelino, o cidadão, que precisa sacar o seu salário, para fazer a feira, uma
    despesa imediata ou mesmo para vir a São Luís por meio do ferry,
    que não aceita cartão de débito, fica sem nenhuma assistência. O deputado disse
    que a explicação do Banco do Brasil é nada mais do que uma folha de papel
    escrito “terminal em manutenção”.
    Pedido
    de audiência
    O
    deputado disse que, há 45 dias, pede uma audiência com a Superintendência do
    Banco do Brasil para que possa dar uma explicação e uma sinalização sobre se há
    perspectiva de resolver esse problema. Othelino lembrou que, através do BB,
    recebem os seus salários os servidores de Pinheiro, de vários municípios, na
    grande maioria, os funcionários do Estado, do Judiciário e do Governo Federal.

    “Se
    um deputado estadual, com a representatividade que o povo do Maranhão lhe
    concedeu, não consegue ser recebido pela Superintendência do Banco do Brasil,
    imagina o que não sofre o cidadão comum”, frisou o parlamentar.
    Segundo
    Othelino, o Banco do Brasil precisa se comprometer a fazer um atendimento de
    qualidade, não só na Baixada, mas em todo o Maranhão. “É inadmissível que na
    sexta-feira à noite já não se tenha mais dinheiro nos caixas eletrônicos da
    agência de Pinheiro para que as pessoas possam sacar. E a arrogância,
    infelizmente, tem prevalecido. As pessoas não têm conseguido ter a resposta
    para essa aflição”, disse o deputado.

    0 Comentários

    Deixe o seu comentário!