Logo
  • SEBRAE amplia ações para desenvolvimento da cadeia do mel na Baixada

    Através de visitas técnicas,
    regional do SEBRAE em Pinheiro está levantando necessidades de produtores da
    região A Unidade Regional do SEBRAE em Pinheiro está visitando as Unidades de
    Beneficiamento de Mel de Abelhas presentes em municípios produtores da Baixada
    Ocidental Maranhense, levantando as necessidades das comunidades, identificando
    os centros existentes na região, para definir uma estratégia que venha
    efetivamente permitir a consolidação da operacionalidade da cadeia produtiva do
    mel da região.
    Com este trabalho, o SEBRAE
    busca fortalecer as entidades e associações produtoras de mel na região. Uma
    equipe de técnicos do SEBRAE – formada pela gerente regional, Rosa Amélia
    Borges, o gestor do projeto “Atendimento Territorial da Baixada Maranhense”,
    Raimundo Júnior e o consultor do SEBRAE, Mário Carneiro, especialista em
    inovação tecnológica no agronegócio – esteve em reunião com a presidente da
    Cooperativa de Mel na Baixada Maranhense (COAMEL), Rosilene Padilha; com o
    produtor José João dos Inocentes Martins, representando a Associação de
    Meliponicultores de Peri Mirim e o representante do Sindicato dos Trabalhadores
    Rurais de Peri Mirim, Francisco Júlio Oliveira; além de outros produtores de
    mel.
    Já foram visitados: a
    Unidade de Beneficiamento de Mel do povoado de Mangabeira “Mel Turi”, no
    município de Santa Helena; e o Centro de Referência de Meliponicultura,
    localizado em Peri-Mirim, que já se encontra com 65% de suas obras de ampliação
    concluídas. O SEBRAE é parceiro da ação junto aos produtores e à Fundação Banco
    do Brasil – o objetivo em Peri Mirim é que a obra do Centro seja concluída até
    o final deste ano.
    A produção de mel
    constitui uma atividade tradicional na Baixada Ocidental Maranhense e passou a
    ser sistematizada em 2007, ocasião em que o SEBRAE identificou, realizou um
    diagnóstico e deu início à capacitação e organização dos produtores. Ao longo
    dos anos, a prática foi se disseminando entre pequenos e médios produtores,
    assim como produtores de base familiar. Na Baixada, a produção de mel é feita a
    partir de abelhas com ferrão e sem ferrão – esta última denominada
    meliponicultura.
    As abelhas são os principais agentes
    polinizadores de diversas plantas nativas que conservam a vegetação; o mel
    produzido pelas abelhas contém os nutrientes básicos necessários à saúde; além
    de servirem de fonte de alimento, o mel produzido pelas abelhas representa uma
    importante fonte de renda na região. Outras parcerias – O SEBRAE em parceria
    com a UEMA, tem realizado programas de capacitação regional para os produtores
    de mel da Baixada. Este ano, acontece a sétima edição do Encontro Sobre Abelhas
    Nativas da Baixada Maranhense, previsto para os dias 3 e 4 de Novembro na
    Escola Fazenda da UEMA, em São Bento. Um evento que busca reunir produtores,
    professores, pesquisadores e estudantes de áreas correlatas, para discussão,
    apresentação de trabalhos e avaliação de temas relacionados às abelhas,
    enfatizando a meliponicultura.
    O SEBRAE atua através de
    consultorias, orientando os produtores com relação ao aumento da produção com
    qualidade e na produtividade incentivando o aumento do numero de colmeias em
    conformidade com as floradas no raio de visitação das abelhas em torno do
    meliponário. Alguns produtores já utilizam a tecnologia transferida pelo SEBRAE
    como: manejo produtivo, manejo de manutenção, colmeias racionais, alimentação
    dos enxames no período de pouco alimento, controle de inimigos naturais de
    abelhas, construção de meliponário para facilitar o manejo das colmeias.
    Vanda Pereira
    Unidade de Marketing e
    Comunicação Regional do SEBRAE em Pinheiro – Ma
     Contatos: (98) 8118 0106

    SEBRAE – Pinheiro-Ma- (98)
    3381- 2711

    0 Comentários

    Deixe o seu comentário!