Logo
  • Senador José Sarney é Homenageado por Escola de Samba no carnaval Amapaense

    Homenageado no
    carnaval amapaense pela escola Embaixada de Samba Cidade de Macapá, o senador
    José Sarney (PMDB/AP) explicou em entrevista no sábado (1º) a uma emissora de
    rádio local que deixou de comparecer ao desfile no sambódromo de Macapá para
    evitar que a Justiça Eleitoral interpretasse a presença dele no evento como
    “propaganda antecipada”. O desfile aconteceu na sexta-feira (28 de
    fevereiro), primeiro dia de
    apresentação na avenida Ivaldo Veras
    .
    “Eu não
    estive presente ao desfile para que não se confundisse a política com a
    literatura. (…) O que pesou muito foi o fato de a lei eleitoral poder
    interpretar como propaganda antecipada, como se eu estivesse me valendo do
    carnaval para fazer propaganda política pessoal”, justificou o senador
    durante a entrevista.
    Com o enredo
    ‘Do Maranhão para o Amapá, a Viagem de um
    Poeta Vencedor’, a escola de samba do grupo de acesso retratou a obra literária
    de José Sarney. Entre os livros interpretados na Av. Ivaldo Veras, estavam
    Ensaio Sobre a Pesca de Curral (1953), A Canção Inicial (1954), Norte das Águas
    (1969), Os Marimbondos de Fogo (1978), Dono do Mar (1995), Saraminda (2000) e a
    Duquesa Vale uma Missa (2007).
    O senador
    também não esteve presente no sambódromo assistindo ao desfile. Ele contou que
    ficou sabendo do desempenho da agremiação por telefone.
    “Eu estava
    em espírito acompanhando o desfile e ao mesmo tempo telefonando para saber como
    é que tinha sido e fiquei muito feliz”, declarou o senador, membro da
    Academia Brasileira de Letra, com 124 obras literárias publicadas.
    O senador ainda
    disse que não interferiu na escolha do enredo da agremiação, mesmo a escola
    tendo como presidente Luiz Gionilson Pinheiro Borges, parente do ex-senador
    Gilvan Borges, presidente do PMDB no Amapá e aliado político de José Sarney.
    “Eu acho
    que foi totalmente espontâneo, eu não interferi, não pedi, foram eles que tiveram
    a iniciativa e por isso sou duplamente grato pelo que eles fizeram”, disse
    durante a entrevista.
    “O samba
    eu ouvi várias vezes e é muito bonito mesmo. (…) O enredo foi muito bem
    feito. Tive oportunidade de ver o desenho das fantasias e fiquei muito
    impressionado com a qualidade. Fico feliz por eles terem concretizado tudo
    isso”, afirmou Sarney.
    Do G1 AP.

    0 Comentários

    Deixe o seu comentário!