Logo
  • UFMA: Campus Pinheiro realiza projeto de extensão com comunidades quilombolas

    uf1Atendendo ao tripé ensino, pesquisa e extensão, o Campus Pinheiro desenvolveu o Projeto de Extensão Acesso às políticas públicas do Programa Brasil Quilombola: mecanismos de desenvolvimento em comunidades quilombolas de Pinheiro, Maranhão, coordenado pelo professor Tadeu Gomes Teixeira, com o objetivo de diagnosticar e propiciar o acesso das comunidades quilombolas de Pinheiro à certificação da Fundação Cultural Palmares e políticas públicas do Programa Brasil Quilombola.

    Com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (FAPEMA), foram realizadas, entre agosto de 2015 e fevereiro de 2016, oficinas de capacitação de lideranças quilombolas e a discussão de Direitos Individuais e Coletivos das Comunidades Quilombolas em vinte e sete comunidades e povos quilombolas da região. Para isso, foi elaborada a cartilha Direitos Quilombolas: mecanismos de acesso às políticas do Programa Brasil Quilombola, que serviu como instrumento didático e instrucional, sendo setenta e cinco exemplares distribuídos para as lideranças comunitárias.uff

    O evento contou ainda com a participação da Companhia Energética do Maranhão (CEMAR), que explicou às comunidades como ter acesso à Tarifa Social de Baixa Renda.

    Além da capacitação de lideranças comunitárias, o projeto realizou um diagnóstico situacional das comunidades e pesquisas sócio-históricas. Como resultado inicial do projeto, foram elaborados onze sumários históricos das comunidades, já enviados à Fundação Cultural Palmares para solicitação da certidão de reconhecimento. A certidão é fundamental para acesso a políticas públicas destinadas às comunidades quilombolas.

    Além da FAPEMA e da Agência da Cemar em Pinheiro, o projeto contou com a participação do líder quilombola da Comunidade Santana dos Pretos e presidente da Associação das Comunidades Negras Rurais Quilombolas do Maranhão (Aconeruq), Raimundo Aldo Costa,

    Participaram do projeto as professoras Camila Alves Machado Sampaio e Maria da Conceição Pinheiro de Almeida, além de alunos e bolsistas, cujo conhecimento da zona rural de Pinheiro foi indispensável para acesso aos povoados. Com isso, a Universidade Federal do Maranhão, Campus Pinheiro, estreita sua relação com as comunidades do entorno e busca cumprir seu papel centrado no ensino, pesquisa e extensão.

    0 Comentários

    Deixe o seu comentário!