Logo
  • Victor Mendes destaca ações na SEMA

    Depois de fazer um reconhecimento ao deputado Magno
    Bacelar pelo período que o substituiu na Assembleia, “com muito brilhantismo e
    defendendo suas convicções”, o deputado Victor Mendes (PV) listou da tribuna
    algumas ações relativas à sua passagem pela Secretaria de Meio Ambiente. O
    parlamentar se referiu à criação e reativação de conselhos de meio ambiente e
    recursos hídricos, mudança da sede da secretaria, “de uma que, quando chovia a
    água batia no joelho, para a atual, na Avenida dos Holandeses”.
    Victor Mendes contou que seu cartão de visita
    naquela pasta foi uma ação na Justiça do Sindicato dos Servidores que ameaçava
    processá-lo se não tomasse providências no prazo de uma semana. Revelou que
    recebeu uma Secretaria com processos oriundos de todo o Maranhão e lembrou as
    palavras que lhe foram ditas pelo colega Carlos Alberto Milhomem quando deixava
    a Assembleia para assumir o cargo no Poder Executivo: “você está saindo daqui
    como um deputado honesto e deve voltar para cá como um deputado honesto”.
    Diz Victor Mendes que este conselho o orientou
    durante os três anos que permaneceu à frente da pasta. “Eu saí pela porta da
    frente. Posso entrar aqui e olhar nos olhos de cada um de cabeça erguida porque
    tenho certeza de que o Maranhão cresceu muito durante esse período na política
    ambiental”, frisou. Acrescentou que assumiu a Secretaria levando o nome do
    parlamento maranhense, o seu nome e o de sua família que ainda permanecem
    limpos.
    O parlamentar informou que foi o primeiro
    secretário a deixar o cargo, ainda em dezembro, inclusive para que a
    governadora Roseana Sarney pudesse fazer as articulações políticas que achasse
    conveniente. Em seguida, foi aparteado pelo deputado Edilázio Júnior, para
    quem, Victor “dignificou e engrandeceu o Partido Verde, exercendo o papel de um
    grande secretário e com a consciência do dever cumprido”. Edilázio destacou,
    entre as ações do ex-secretário, a tecnologia do software e a seriedade na
    concessão de licenças ambientais.
    Victor Mendes disse, ainda, que às vezes precisou
    ser duro, inclusive com colegas parlamentares. Embora tenha se esforçado para
    atender os pleitos dos deputados, garante que quando foi preciso soube dizer
    não a parlamentares, prefeitos, despachantes. Uma das conquistas detalhadas
    pelo deputado Victor Mendes durante sua gestão, que considera um dos maiores
    desafios vencidos, foi ter acesso ao Fundo Amazônia, através do BNDES. Ele
    explicou que são recursos internacionais, vindos da Noruega a que somente cinco
    estados brasileiros tiveram acesso, entre eles o Estado do Maranhão, que deve
    receber R$ 20 milhões de reais para combate ao desmatamento.
    Referiu-se também o deputado ao Fundo Estadual de
    Conservação, através do qual distribuiu recursos para as diversas unidades de
    conservação existente no Estado. Citou, entre essas unidades, a Baixada
    Maranhense, especificamente a cidade de Pinheiro, o Parque do Mirador, o
    Rangedor, a Ilha dos Pequenos Lençóis, Barreirinhas e a Ilha de Upaon Açu.
    Victor Mendes fez questão de dizer que repassou
    recursos para o município de Pinheiro de forma legítima e transparente. “Doa a
    quem doer, incomode a quem incomodar, ali está sendo feita uma grande obra e eu
    vou convidar todos aqueles que são contra, que torceram contra para a
    inauguração”. 
    Citou também os recursos repassados para o Parque Ambiental do
    Mirador e para Parque Ambiental do Itapiracó. “E por que não a Baixada
    Maranhense, porque meu pai é prefeito?”, indagou para afirmar em seguida que
    Pinheiro não tem culpa de ter um filho deputado e um pai prefeito. Segundo ele,
    a obra vai beneficiar todos os municípios no entorno da cidade de Pinheiro.
    O deputado finalizou dizendo que trouxe a obra de
    Pinheiro para seu discurso para não deixar nenhuma dúvida quanto a sua
    transparência, legalidade e importância para a região mais pobre do Estado.

    0 Comentários

    Deixe o seu comentário!