Denúncias escancararam mar de corrupções praticadas pelo presidente da Câmara Municipal de Mirinzal

Apenas uma vez por semana o Legislativo da cidade de Mirinzal, se reúne para debater sobre as demandas do...

Dirceu, presidenta da Câmara de Mirinzal está enrolado até o pescoço

Apenas uma vez por semana o Legislativo da cidade de Mirinzal, se reúne para debater sobre as demandas do município, aprovar projetos, requerimentos etc. Pelo menos seria!

Nesta sexta-feira (27) dia de sessão no plenário da Câmara Municipal da cidade, a penas poças d’água. Isso mesmo, depois de passar por uma “suposta” ampla reforma, os Edis ficaram impossibilitados de adentrar o Palácio do Legislativo por conta de um “alagamento” interno.

O presidente do Legislativo Municipal, vereador Dirceu Machado Ribeiro, é suspeito de ter desviado verbas de obras e serviços que nunca foram prestados no legislativo local.

De acordo com o vereador, Beto (PP), Dirceu gastou R$ 3.450,00 (três mil quatrocentos e cinquenta reais), com um kit mastro de três bandeiras que nunca chegou a casa. Dirceu teria gasto ainda, R$ 14.222,00 (quatorze mil duzentos e vinte e dois reais) com a reforma do prédio municipal, e segundo o vereador Beto as portas da Câmara são amarradas com “punho”. A Câmara que fede a morcego, também teria passado por uma dedetização no valor de R$ 5.000,00 (cinco mil reais) que segundo o vereador denunciante nunca aconteceu.

A última pintura da Câmara aconteceu em 2014

O presidente da casa que está enrolado ate o pescoço, teria contratado duas motocicletas que estariam a serviço do legislativo, o contrato é de 4.000,00 (quatro mil reis) somados os dois veículos. Manutenção predial no valor de R$ 7.482,00 (sete mil quatrocentos e oitenta e dois reais). Digitalização de documentos no valor de no valor de 3.085,00 (três mil e oitenta e cinco reais), são outros gastos não explicados pelo presidente.

Outra grave denuncia veio a tona através do vereador Beto. Servidores fantasmas na Câmara Municipal da cidade. Segundo Beto, duas pessoas, uma por nome de Marcelo e outra por nome de Luana, que juntos recebem R$ 3.200,00 (três mil e duzentos reias) sem comparecer no Palácio do Legislativo, já teriam desfalcado os cofres da Câmara em mais de R$ 50.000 (cinquenta mil reais). Ouça o áudio abaixo.

Depois do presidente ter torrado toda essa dinheirama, a sessão do legislativo não aconteceu nesta sexta e importantes projetos deixaram de ser votados como a criação do Fundo Municipal de Políticas de combate as drogas e criação do do Conselho Municipal de Políticas Públicas sobre drogas.

A reforma que nunca aconteceu custou R$ 14.222,00 (quatorze mil duzentos e vinte e dois reais)

Enquanto a Câmara de Mirinzal se atola em um mar de corrupção, a população mirinzalense fica sem importantes projetos. As denúncias do vereador Beto serão lavadas ao Ministério Público.

VER COMENTÁRIOS

Artigos relacionados