Victor Mendes

Distribuição de medicamento para Atrofia Muscular Espinhal no SUS

Por meio da indicação 5308/2018, o deputado federal Victor Mendes (MDB-MA) solicitou ao ministro da Saúde, Gilberto Occhi, a inclusão do medicamento...

Por meio da indicação 5308/2018, o deputado federal Victor Mendes (MDB-MA) solicitou ao ministro da Saúde, Gilberto Occhi, a inclusão do medicamento Spinraza no rol de medicamentos distribuídos peloSistema Único de Saúde (SUS), para tratamento da doença da Atrofia Muscular Espinhal (AME).  Desde que o fármaco passou a ser comercializado mundialmente, em 2016, e utilizado por portadores da enfermidade, o Spinraza vem se mostrando eficaz e os pacientes têm apresentado melhoras significativas.

Com registro concedido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o Spinraza já pode ser comercializado no Brasil desde agosto de 2017. O problema é o preço do medicamento. Para o primeiro ano de tratamento da AME são necessárias seis doses do remédio, que custam cada mais  R$ 364 mil. Logo, as seis doses necessárias para completar o primeiro ano de tratamento têm o custo de mais de R$ 2 milhões de reais. “Temos convicção que a utilização do medicamento contribui decisivamente para melhoria da saúde e qualidade de vida dos pacientes que conseguem o acesso a medicação”, ressalta o deputado maranhense.

Sobre a Atrofia Muscular Espinhal

A AME consiste em uma patologia genética degenerativa, que afeta as células do corno anterior da medula, resultando em fraqueza e atrofia muscular caracterizada por problemas nos movimentos voluntários como segurar a cabeça, sentar e andar. Em geral, a maioria dos pacientes não ultrapassa os três anos de vida.

Estima-se que a AME, quando ocorre desde o início da vida, afete um indivíduo para cada 10.000 nascidos vivos e, que quando se inicia na idade adulta, afete um para cada 100 mil indivíduos.

VER COMENTÁRIOS

Artigos relacionados