Escândalo: prefeita eleita de Axixá foi gravada oferecendo emprego em troca de votos

axixa-768x342Um escândalo está prestes a abalar a pequena cidade de Axixá. Áudio, obtido com exclusividade pelo Blog do Neto Ferreira, revela que a prefeita eleita do município, Maria Sônia Oliveira Campos (PDT), ofereceu a eleitores emprego e casa em troca de votos durante a campanha eleitoral de 2016.

O flagrante foi feito dia 28 de setembro – 4 dias antes do pleito municipal – durante uma reunião realizada em uma residência,no bairro Cedro, reduto eleitoral da candidata a vereadora identificada como Ana, que faz parte da mesma coligação de Sônia Campos. Os diálogos, mostram nitidamente que a prefeita eleita de Axixá cometeu crime eleitoral.

Na conversa a seguir, Sônia garante àquelas pessoas – que estavam presentes naquele encontro- emprego e casa se votarem nela.

“A decisão é de vocês. O que eu quero dizer que se vocês votarem pra mim vocês vão ter emprego e vocês vão ter casa (sic)”, afirmou a prefeita eleita.

No mesmo diálogo, a pedetista diz que é melhor eles se acertarem logo, pois a eleição seria em quatro dias e fala que o certo seria votar nela e na vereadora Ana. “Então, é melhor a gente se acertar aqui. Votar com Sônia, com Ana. A eleição é daqui a 4 dias, já tem prefeita nova na cidade. O que a gente vai fazer, no meu ponto de vista, sua filha (inaudível), mas vinculada com o município”.

Nesse momento, a prefeita eleita é interrompida pela candidata a vereadora Ana, que afirma “ela vai é tirar os contratados que já tem” e Sônia confirma “todo mundo! Principalmente, aqueles que tem salários (inaudível)”.Em 2008, Sônia Campos que à época era prefeita de Axixá, foi presa pela Operação Rapina da Polícia Federal por fraude em licitações, montagem de documentos, formação de quadrilha, peculato, desvio de dinheiro público, entre outros. Segundo a investigação da época, 11 prefeitos foram presos e a quadrilha agia há 26 anos e teria desviado aproximadamente R$ 1 bilhão dos cofres públicos.

Em 2008, Sônia Campos que à época era prefeita de Axixá, foi presa pela Operação Rapina da Polícia Federal por fraude em licitações, montagem de documentos, formação de quadrilha, peculato, desvio de dinheiro público, entre outros. Segundo a investigação da época, 11 prefeitos foram presos e a quadrilha agia há 26 anos e teria desviado aproximadamente R$ 1 bilhão dos cofres públicos.

Comente