Iema acolhe comunidade escolar da Unidade Plena do IEMA em Cururupu

O acolhimento é o primeiro contato e impressão dos alunos, pais e equipe escolar em relação ao Instituto de...

Participantes do acolhimento à comunidade escolar do IEMA de Cururupu

O acolhimento é o primeiro contato e impressão dos alunos, pais e equipe escolar em relação ao Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (IEMA). Na recém-construída unidade plena (UP) do IEMA, no município de Cururupu, estudantes, pais e professores foram recepcionados, na quarta (2) e quinta-feira (3), com atividades organizadas pela Diretoria de Pesquisa e Extensão (Dipex).

O momento serviu para mostrar que todos os integrantes da escola são fundamentais na construção de uma educação de qualidade. Na programação, alunos protagonistas da UP São José de Ribamar apresentaram o modelo pedagógicos do IEMA por meio de dinâmicas, oficinas e apresentações artísticas.

“No primeiro dia recebemos a equipe escolar e pais dos alunos e, no segundo, foi o momento da culminância com acolhida dos novos alunos pelos jovens protagonistas. Os estudantes de Cururupu ficaram bastante entusiasmados com a iniciativa e os jovens protagonistas de São José de Ribamar desenvolveram um belo trabalho”, contou o diretor de Pesquisa e Extensão, Dario Soares.

O reitor do Iema, Jhonatan Almada, afirmou que a UP de Cururupu representa a continuidade do investimento que o governo Flávio Dino tem feito na expansão do IEMA. “É, justamente, para que mais jovens do Maranhão possam ter a oportunidade de cursar uma educação técnica e integral de qualidade”.

Jhonatan Almada afirmou que a recepção dos novos alunos pelos veteranos tem o objetivo, também, de apresentar a vivência e experiência aos alunos que estão chegando. “Isso integra a comunidade acadêmica, estabelece os laços entre os estudantes e ao mesmo tempo apresenta a nossa verdade através da voz mais autorizada que é a voz dos próprios estudantes”.

Estudantes participantes do acolhimento à comunidade escolar do IEMA de Cururupu

A professora Elizabeth Abreu, que acompanhou os jovens protagonistas da UP de São José de Ribamar, disse que o acolhimento é um dos diferenciais memoráveis do modelo IEMA. “Costumo dizer que estar no acolhimento é ficar na memória de quem é acolhido. Por isso se fez necessário uma formação para os jovens protagonista que irão acolher os novos alunos nas UPs, pois cada detalhe ficará marcado positivamente na memória e no coração de cada novo estudante, motivando-o para uma nova etapa na educação, o ensino médio”.

“Nossos jovens protagonistas sabem dessa doce responsabilidade do acolhimento e estão felizes em acolher assim como foram acolhidos ano passado. O que me deixa muito grata em fazer parte de uma instituição de ensino que de forma intrínseca desperta nos alunos a ação de receber e cuidar das pessoas”, afirmou Elizabeth Abreu

A aluna de meio ambiente da UP Cururupu, Amanda Gullar, conta sobre a alegria de ser acolhida na unidade. “O acolhimento foi incrível, despertou mais interesse pelo ensino do Instituto. Fiquei muito alegre pela recepção que recebi de pessoas que não conhecia, mas que me acolheram de coração aberto”, disse a aluna.

O aluno de agricultura orgânica da UP de São José de Ribamar, Daniel Farias, disse que o acolhimento é uma “experiência incrível” para quem organiza e executa. “É algo divertido, onde ganhamos novos amigos, conhecemos a realidade de cada estudante e transmitimos o que já vivemos dentro da escola”, afirmou. Ele acredita que os novos estudantes têm um futuro brilhante no IEMA.

A aluna do curso de Informática da UP de São José de Ribamar, Bruna Agnes, destaca a experiência com gratificante. “Nós jovens protagonistas conseguimos a essência do IEMA para os estudantes que com certeza irão levar esses dois dias para sua estadia no Instituto e para fora dele também”.

VER COMENTÁRIOS

Artigos relacionados